Tamanho do texto

Designer falece, vítima de câncer, prestes a completar 83 anos. Além do cupê, desenhou Fiat 124 Spider e De Tomaso Pantera

Tom Tjaarda, ao volante do Fiat 124 Spider, um dos modelos que desenhou ao longo da sua carreira de designer
Reprodução/Pinterest
Tom Tjaarda, ao volante do Fiat 124 Spider, um dos modelos que desenhou ao longo da sua carreira de designer

Morre um dos designers de carros mais importantes que se tem notícia, Tom Tjaarda, criador do Ford Maverick e de uma série de outros modelos de sucesso, como o Fiat 124, o De Tomaso Pantera e o Ferrari 365 California.  Vítima de câncer, ele faleceu no último dia 1° de junho, em Turim (Itália). Até os últimos dias de vida trabalhou no ambiente automotivo, como jurado de concursos de design.

LEIA MAIS: Conheça 5 carros esportivos nacionais que deixaram saudades. Veja a lista

Nascido em Detroit (EUA), Tjaarda era filho do pai do Lincoln Zephyr. E começou sua carreira depois de se tornar arquiteto, quando começou a trabalhar na Carrozzeria Ghia, na Itália, em 1958. Um dos primeiros carros que desenhou (bem antes do Ford Maverick) foi o Innocenti 950, compacto bem leve que tinha, inclusive, versão Spider (roadster).

Três anos depois, Tjaarda passou a fazer parte do time de designers do renomado studio Pininfarina.  E logo foi responsável por projetos de carros de sucesso, como o Fiat 124 Spider, outro roadster típico dos anos 60, feito para concorrer com os tradicionais modelos ingleses da MG, Triumph, Austin Healey, entre outras marcas.

LEIA MAIS: Os 10 carros clássicos mais incríveis esquecidos em garagens. Confira fotos

Mas foi quando voltou para o studio Ghia, em 1968 é que Tjarda desenhou modelos da Ford, como o Maverick e a primeira geração do Fiesta. Depois disso, em 1984, Tom criou sua própria empresa, a Tjarda Design, que existe até os dias atuais.

Um breve histórico sobre o Maverick

Ford Maverick GT,  versão esportiva do cupê cujas linhas foram criadas pelo designer americano Tom Tjaarda
Divulgação
Ford Maverick GT, versão esportiva do cupê cujas linhas foram criadas pelo designer americano Tom Tjaarda

Quando foi lançado no Brasil, em junho de 1973, o cupê Maverick não chamou muita atenção. Era um cupê, com aspecto sofisticado, que não caiu no gosto do brasileiro logo de cara. Foi preciso passar alguns anos para que o carro passasse a ser mais valorizado por aqui, principalmente na versão esportiva GT, com motor V8 de 197 cv, potência para acelerar de 0 a 100 km/h em 11 segundos e atingir 180 km/h, pelo o que diz a ficha técnica da fabricante.

LEIA MAIS: Ford Fiesta brasileiro terá apenas o design da nova geração vendida na Europa

Depois que virou clássico, o Maverick GT se valorizou. Atualmente, um exemplar totalmente original, impecável, com detalhes como as entradas de ar no capô, rodas cromadas com sobrearo, faixas na pintura e faróis auxiliares embutidos na carroceria, pode chegar a valer mais de R$ 100 mil para os colecionadores. No interior do carro, são apreciados itens como os bancos revestidos de couro e o volante de três raios, que deixa à mostra o contagiros instalado bem no meio da coluna de direção. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.