Tamanho do texto

Modelo chegou ao país nos anos 70, e foi encontrado depois de quatro décadas. Veja na galeria o estado que ficou o clássico esportivo

Ferrari Daytona vai a leilão e deverá ser arrematada por algo equivalente a R$ 6,3 milhões por colecionadores de plantão
RM Sotheby’s Ferrari
Ferrari Daytona vai a leilão e deverá ser arrematada por algo equivalente a R$ 6,3 milhões por colecionadores de plantão

Quatro décadas! Esse foi o tempo que demoraram para descobrir a empoeirada Ferrari Daytona no Japão. A marca italiana fez aproximadamente 1.200 unidades da 365 GTB entre 1969 e 1973, com apenas cinco modelos de competição. Esta unidade em questão é a única Daytona feita para as ruas com estrutura de alumínio, e foi comprada por Luciano Conti, amigo íntimo de Enzo Ferrari.

LEIA MAIS: Ferrari completa 70 anos. Confira imagens históricas

O modelo, ano 1969, chegou na "Terra do Sol Nascente" por importação dois anos depois. O último dono, Makoto Takai, foi o responsável por esconder o esportivo. Pouquíssimos entusiastas sabiam da existência do modelo, e tentaram comprá-lo sem qualquer sucesso. Depois de quarenta anos, a Ferrari Daytona foi enviada para uma avaliação, confirmando os números de chassi e autenticidade. Ela será leiloada pela casa R M Sotherby’s Ferrari no dia 9 de setembro, e deverá ser arrematada por algo em torno de R$ 6,3 milhões.

LEIA MAIS: Ferrari rara ficou escondida em apatamento nos EUA por décadas

Miami Vice

A Ferrari 365 GTB recebeu o apelido para comemorar a vitória da equipe nas 24 Horas de Daytona, em fevereiro de 1967. O modelo foi apresentado oficialmente no Salão de Paris (França) do ano seguinte, fazendo muito sucesso pelo seu longo capô e linhas fluidas desenhadas pela Pininfarina. O supercarro foi o último modelo com motor na dianteira projetado antes da Fiat assumir o comando da Ferrari.

LEIA MAIS: Ferrari F40 de Eric Clapton está à venda por mais de US$ 1 milhão

Num momento em que o Lamborghini já trazia motor central em seu superesportivo Miura, a Daytona surgiu com propulsor na dianteira e tração traseira. E para um motor V12 4.4 de 352 cv de potência, a Daytona não demonstrava muito fôlego com uma aceleração de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos. Ela sofreu uma reestilização em 1971, substituindo os faróis revestidos em a alumínio por um modelo escamoteável. A versão conversível GTS4 ficou marcada na cultura pop pelo seriado Miami Vice, que contava com um modelo conversível. A Ferrari Daytona foi substituída em 1973 pela 365 GT4 Berlinetta Boxer, que apostava no motor central para corrigir o desempenho não tão empolgante da 365 GTB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.