Tamanho do texto

Sedã da VW aparece para competir com Chevrolet Cobalt, Honda City, Fiat Cronos e companhia. Saiba mais detalhes sobre a novidade

Volkswagen Virtus: traseira do sedã segue o estilo dos novos modelos da marca, com um toque de ousadia
Cauê Lira
Volkswagen Virtus: traseira do sedã segue o estilo dos novos modelos da marca, com um toque de ousadia

A Volkswagen nem esperou os ânimos do lançamento do Polo baixarem para revelar o sedã Virtus. O objetivo é ocupar a lacuna que existe entre o compacto Voyage e o sedã médio Jetta. A novidade, que chega às lojas em fevereiro, foi apresentada como parte do planejamento estratégico da marca de lançar vinte modelos novos até 2020. Os preços do Volkswagen Virtus serão revelados durante seu lançamento, em janeiro de 2018.

LEIA MAIS: Novo Polo: como anda o novo hatch com motor 1.0 turbo

Assim como Polo e Golf, o  Volkswagen Virtus  foi projetado sob a plataforma MQB. Sua dianteira preserva o design que já conhecemos no novo hatch compacto, com linhas demarcadas por um caráter horizontal que reforça seu caráter esportivo. A silhueta acaba sendo o grande trunfo, com design mais flúido em relação ao Voyage.  Há um jogo de luz e sombra que estabelece a divisão de três camadas. A Volkswagen também fez questão de reforçar a grande área envidraçada, que proporciona melhor visibilidade para o condutor.

Frente do Virtus é igual ao do Polo, com linhas e detalhes que dão ideia de esportividade, o que inclui defletores de ar
Divulgação
Frente do Virtus é igual ao do Polo, com linhas e detalhes que dão ideia de esportividade, o que inclui defletores de ar

A traseira que despertava tanta curiosidade se distancia de todos os sedãs da marca por conta das linhas alongadas. A equipe de design da Volkswagen diz que tomou um cupê como referência, fazendo com que o teto do Virtus termine mais próximo ao fim do porta-malas. Este, destaca a marca, traz 521 litros de capacidade, superando o irmão maior Jetta em 10 litros. 

LEIA MAIS: Novo Polo Highline enfrenta Fiat Argo Precision: veja quem é melhor

O sedã tem 4,48 metros de largura por 1,75 m de largura. Seu entre-eixos é 8,6 cm maior que o do Polo (2,64 m). Ao me acomodar no banco traseiro, com o assento do motorista regulado para mim (tenho 1,86 m), fiquei com a cabeça bem rente ao teto. Isso por causa do caimento da parte traeira da capota, que lembra a silhueta de um cupê. Quatro ocupantes conseguem se acomodar com conforto. O quinto que vai sentado no meio do banco traseiro, entretanto, sofre com a altura do assento. 

Lanternas traseiras e discreto defletor na tampa do porta-malas  deram um toque ousado ao desenho do sedã
Divulgação
Lanternas traseiras e discreto defletor na tampa do porta-malas deram um toque ousado ao desenho do sedã

Como equipamentos de série, o Volkswagen Virtus trará quatro airbags, Isofix, controle de tração e alerta de frenagem de emergência. O modelo mais básico também trará sistema de som convencional, porém, com conectividade Bluetooth e entrada USB. Ar-condicionado completa o pacote conforto de todas as versões.

LEIA MAIS: Volkswagen confirma dois SUVs inéditos e nova picape

Há sensor de estacionamento traseiro, retrovisores elétricos, apoio de braço e direção com ajuste de altura e profundidade A Volkswagen também integrou saídas de ar-condicionado para os ocupantes do banco traseiro.

Os motores acompanham o Polo, com a ausência do motor 1.0 aspirado. Portanto, o Virtus virá equipado com propulsores 1.6 MSI, de 117 cv de potência e 16,5 kgfm de torque, e 1.0 turbo de 128 cv e 20,4 kgfm. Quem optar pela motorização turbo também levará de série o controle de estabilidade e tração, que estará restrito às versões mais caras do Virtus.

O que já sabemos

Quadro de instrumentos digital e configurável está disponível apenas como opcional na versão topo de linha
Divulgação
Quadro de instrumentos digital e configurável está disponível apenas como opcional na versão topo de linha

Por ser derivado do Polo, a cabine do Virtus acompanha os equipamentos do hatch. O carro traz o mesmo sistema de infotenimento com cockpit virtual que foi tão elogiado. O sistema lembra bastante o que foi apresentado no Brasil pelo Audi TT, com o quadro de instrumentos 100% digital em uma tela de dez polegadas. A investida da marca alemãque surge como algo inovador em seu segmento. Nele, é possível ver todas as informações, como navegação, opções de mídia e dados do computador de bordo. A impressão é de estar em um carro mais caro.

A central multimídia com App Connect é muito responsiva e intuitiva. É como manusear um bom celula que você possui há meses. Você também poderá emparelhar a central com seu aparelho por meio do Apple CarPlay e do Android Auto, sendo que o último é capaz de reproduzir o Waze. Aplicativos como Spotify também aparecem integrados. O Volkswagen Virtus será vendido nas mesmas versões que o Polo. Portanto, espere as mesmas MSI, Comfortline e Highline.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.