Tamanho do texto

Visual não altera a identidade do sedã, que preserva a sobriedade. Nova central multimídia é o destaque

Chega ao mercado a linha 2018 do Honda City, com um leve tapa no design e novos equipamentos. Quanto ao estilo, sua grade frontal fica mais encorpada e as entradas de ar dianteiras ganham mais abertura. Na traseira, lanternas e para-choque são novos, mais definidos e refinados, mas que ainda carregam a identidade do sedã. Apesar dos novos ares, o carro segue com a mesma sobriedade da geração anterior. O City custa R$ 60.900 na versão DX manual, R$ 68.700 na Personal com câmbio CVT, R$ 72.500 na versão LX CVT, R$ 77.900 na EX CVT e R$ 83.400 na versão EXL CVT.

LEIA MAIS: Honda Fit EXL vai além de uma reestilização superficial. Veja o vídeo

Quanto aos equipamentos, o novo Honda City recebe luzes diurnas em LED de série, com mais luminosidade. Já a versão de topo EXL, conta com LED também no farol alto. Na traseira, as versões LX, EX e EXL ganham LEDs nas guias das lanternas, assim como as rodas de liga leve crescem de 15 polegadas - da geração anterior - para 16 polegadas. Além disso, já adentrando ao sedã, encontra-se a mesma central multimídia que equipa o Fit, desta vez mais moderna que a utilizada na geração anterior. Com tela sensível ao toque, GPS integrado, entrada USB, bem como compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto, a facilidade e a intuitividade durante o uso do sistema será maior.

LEIA MAIS: Honda Fit EXL 2018: avaliamos em detalhes a versão topo de linha

Mais equipamentos que chegam

Honda City 2018: as novas mudanças deixaram o sedã compacto mais parecido com o irmão Civic
Divulgação
Honda City 2018: as novas mudanças deixaram o sedã compacto mais parecido com o irmão Civic

Na versão EX, a novidade é a implementação de airbags laterais, além dos dois frontais, estes de série em todas as versões. Também passa a fazer parte, para as versões EX e EXL, ar-condicionado digital com tela sensível ao toque. Por fim, tem volante com acabamento em couro, apoio de braço central dianteiro revestido e com porta-objetos, controle de cruzeiro, sistema de áudio com tela de 5 polegadas e oito alto falantes, bem como câmera de ré.

LEIA MAIS: Saiba 6 motivos para comprar (ou não) o aventureiro Honda WR-V

Apesar das novidades no visual e dos novos equipamentos, o Honda City continua sem novidades tanto no motor 1.5, de 116 cv e 15,3 kgfm, quanto nas duas opções de câmbio, disponíveis com transmissão manual de cinco marchas e automático CVT, com hastes no volante para trocas sequenciais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.