Tamanho do texto

Complexo Industrial de São José dos Pinhais recebe aporte para nacionalizar produção de componentes que eram importados. Veja mais detalhes

Fábrica da Renault ganha nova ramificação em São José dos Pinhais (PR)
Divulgação
Fábrica da Renault ganha nova ramificação em São José dos Pinhais (PR)

A Renault anuncia a inauguração de sua nova ramificação para o Complexo Industrial de São José dos Pinhais (PR). A nova unidade de injeção de alumínio é fruto de um investimento de R$ 350 milhões, onde a marca passará a produzir bloco e cabeçote do motor 1.6 SCe, que eram importados do Japão. Conforme a marca, a ramificação tem capacidade de produzir 500 mil peças por ano.

LEIA MAIS: Renault Kwid terá nova versão aventureira no início de 2019

O motor 1.6 que será produzido no Complexo Industrial equipa a família compacta Sandero e Logan, bem como o SUV Duster e a picape intermediária Oroch. De acordo com a Renault , a marca reúne as mais modernas práticas em injeção de alumínio da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que já pede passagem entre as maiores montadoras do mundo.

LEIA MAIS: Renault Kwid Zen vale mesmo os R$ 35 mil? Confira a avaliação
Luiz Pedrucci, presidente da Renault do Brasil, diz que a expansão da fábrica não tem a ver com um possível compartilhamento de motores com a Nissan. “Acreditamos que o mercado brasileiro vai voltar a crescer, e que a demanda interna e de exportação está nos conformes da expansão. Mas estamos abertos a novas possibilidades", diz o executivo.

A ramificação da fábrica chega no momento em que a Renault comemora vinte anos de fabricação no Brasil. Em 1998, começou a fabricar o Scénic em São José dos Pinhais. No ano seguite, foi a vez do Renault Clio, que se tornou um grande sucesso entre os carros compactos. Logan e Sandero vieram em 2007 e 2008, respectivamente, enquanto o Duster chegou só em 2011.

LEIA MAIS:  Kwid volta aos mais vendidos. Virtus supera rivais no primeiro mês

Sustentável

Complexo Industrial de São José dos Pinhais (SP)
Cauê Lira/iG Carros
Complexo Industrial de São José dos Pinhais (SP)

Conforme o pronunciamento da montadora francesa, o  processo de fabricação dos cabeçotes é inorgânico, ou seja, isento de emissões de carbono, o que contribui para a qualidade do ecossistema. Além disso, a ramificação da fábrica utiliza uma injetora cerca de 30% mais compacta e com produtividade 20% maior que a de equipamentos de outra geração. Além disso, a marca comporta unidades do Instituto Renault nos arredores da fábrica (Curitiba e São José dos Pinhais), bem como Florianópolis e Sâo Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.