Tamanho do texto

Pensado para as grandes cidades, modelo pesa apenas 450 kg e conta com autonomia de até 150 km. Veja as imagens

Eis o primeiro carro elétrico feito por impressão 3D. Símples em sua concepção, é pensado para as cidades
Divulgação
Eis o primeiro carro elétrico feito por impressão 3D. Símples em sua concepção, é pensado para as cidades

A montadora italiana de carros elétricos, XEV, e a empresa de impressão 3D, Polymaker, lançam o primeiro carro elétrico produzido a partir de uma impressora 3D. Formado por somente 57 peças, o modelo é leve (pesa 450 kg), barato (custa R$ 23.000 em uma conversão simples) e compacto (tem o comprimento aproximado de um Smart). Com 7000 encomendas já feitas, a proposta é de revolucionar a mobilidade nas cidades, uma vez que, além de prático, conta com uma autonomia de até 150 km.

LEIA MAIS: Carro voador e autônomo da Audi é apresentado em Genebra. Veja vídeo

O carro é leve, barato e compacto. Além disso, é um conceito promissor para os modelos do futuro
Divulgação
O carro é leve, barato e compacto. Além disso, é um conceito promissor para os modelos do futuro

Todas as partes visíveis do EV foram impressas, exceto chassis, assentos e vidro. Segundo o co-fundador e CEO da Polymaker, Dr. Luo Xiaofan, o XEV é o primeiro projeto de produção em massa real usando a impressão-3D. "Ao dizer real, quero dizer também que existem muitas outras empresas que usam a impressão-3D para a produção, mas nada pode realmente comparar com XEV em termos de tamanho, escala e a intensidade" explica o executivo. De acordo com as empresas, a parceria estratégica entre XEV e Polymaker leva a uma mudança revolucionária na indústria automotiva, ao ponto de que alterações semelhantes, relacionadas com a tecnologia de impressão 3D , vão acontecer com todos os aspectos da fabricação muito em breve.

LEIA MAIS: Ônibus anfíbio faz sucesso na Alemanha. Assista ao  video dele em ação

Impressão 3D no automobilismo

As impressoras 3D já poupam o tempo de muitas indústrias, uma vez que a “usinagem” das peças é feita mais rapidamente e do jeito que os engenheiros quiserem, sem que os custos sejam muito maiores. Por isso, agora a tecnologia está sendo estudada para ser empregada também nas corridas em alta velocidade, com desafios relacionados à durabilidade e a entrega da performance.

LEIA MAIS: Mercedes mostra van elétrica que faz entregas sozinha. Assista ao vídeo

Acelerando até os 320 km/h, as equipes enfrentam um desafio diário: fazer componentes leves, duradouros e mais rápidos que os do adversário. Cada vez mais a impressão 3D está sendo aplicada nos carros de corrida, onde, em alguns casos, 10, 20, 30% dos componentes são impressos e, em outros, o carro todo, mas ainda em fase de estudos e desenvolvimento. Será que veremos o surgimento de uma categoria homologada só de carros impressos um dia?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.