Tamanho do texto

O 1º trimestre teve um total de R$ 28,6 bilhões em financiamento. Em março, a alta representa quase 24% a mais em relação a este mês no ano passado

O aumento das vendas financiadas, segundo analistas, é reflexo da redução da taxa básica de juros e do desemprego
Divulgação
O aumento das vendas financiadas, segundo analistas, é reflexo da redução da taxa básica de juros e do desemprego

Segundo o boletim da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o primeiro trimestre de 2018 teve o maior montante de financiamento liberado dos últimos cinco anos, com uma quantia atingida de R$ 28,6 bilhões. Já os recursos liberados em março de 2018 somaram R$ 10,3 bilhões para financiamentos e leasing na compra de veículos. Esse valor representa uma alta de 23,7% em comparação ao mesmo período do ano passado. Para as operações de financiamentos CDC foram destinados R$ 28,1 bilhões, enquanto as de leasing foram de R$ 461 milhões.

LEIA MAIS: Veja 5 carros memoráveis que foram um fracasso de vendas

O financiamento CDC segue a modalidade mais procurada pelos compradores de automóveis e comerciais leves, representando 51% dos negócios concluídos no primeiro trimestre. Na sequência vem a compra à vista, representando 43%. Já para veículos comerciais (Caminhões e Ônibus), a maior procura ainda acontece através do Finame, que no período representou 57%. Evidentemente, o CDC representa um gradativo aumento, uma vez que a taxa de crescimento de hoje é 22%, ante 15% de 2015.

LEIA MAIS: Honda Civic volta a recuperar segunda posição no ranking dos sedãs mais vendidos

Os compradores de motocicletas, assim como em 2017, ainda optam pelo financiamento, com 39% dos negócios fechados. Em seguida, a compra à vista, com frequência de 32%, e 29% pelo consórcio. Bem como o crescimento do segmento automotivo, os números relativos às motocicletas demonstram que o mercado do setor motociclístico segue aquecido.

Grande retomada

A prática do financiamento agrada pelas condições que os consumidores julgam favorável ao trocar de veículo
Divulgação
A prática do financiamento agrada pelas condições que os consumidores julgam favorável ao trocar de veículo

No mês de março, os bancos liberaram R$ 10,3 bilhões em financiamentos, o que representa o maior volume de recursos registrado desde dezembro de 2014, quando chegou a R$ 11,3 bilhões.  Na comparação com fevereiro, a alta foi de 26,9% e, em relação ao mesmo período do ano passado, de 23,7%. Para as pessoas físicas, foram destinados R$ 8,6 bilhões, enquanto para as pessoas jurídicas, R$ 1,7 bilhão.

LEIA MAIS: Veja 5 carros que revolucionaram a indústria para todo o sempre

Enquanto isso, o saldo das carteiras em março somou R$ 176,4 bilhões, aumento de 1,6% na comparação com o mês anterior e de 9,1% em doze meses. Desse total, os financiamentos responderam por R$ 172,8 bilhões, o que representa aumento de 1,5% em relação ao mês anterior e de 9,6% em um ano. Já os R$ 3,6 bilhões restantes representam as operações de Leasing.

LEIA MAIS: Renault Kwid volta aos mais vendidos. VW Virtus é destaque entre sedãs

Por fim, o índice de inadimplência e as taxas de juros. O índice de inadimplentes para pessoas físicas nas operações de financiamento no mês de março ficou em 3,6%, queda de 0,9 ponto percentual nos últimos doze meses. Na carteira de leasing, a taxa foi de 2,2%, o que representa uma redução de 1,5 ponto percentual em doze meses. A taxa de inadimplência para pessoas jurídicas foi de 2,5% para financiamentos e 1,6% para leasing, representando queda de 2 pontos percentuais em ambas as modalidades.

LEIA MAIS: VW Virtus Comfortline surpreende no dia a dia, com jeito de sedã médio

Já as taxas de juros praticadas pelos bancos ligados às montadoras continuam mais atraentes para o consumidor, em comparação com as do mercado em geral. Em março, as entidades associadas à ANEF cobraram juros de 18,1% ao ano e 1,4% ao mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.