Tamanho do texto

Estudo sobre o futuro dos esportivos mostra como a eletricidade jamais matará a diversão ao volante

O Audi RS3 é um dos esportivos mais viscerais vendidos no Brasil. Quando o carro esteve na garagem de iG Carros tivemos o prazer de comprovar o poder dos 400 cv de potência  do sedã esportivo. Talvez este seja um dos últimos do gênero durante a “era da combustão. Mas como gostamos de martelar por aqui, o futuro pertence aos elétricos. E isso jamais matará a diversão ao volante.

LEIA MAIS: Porsche Panamera e-Hybrid não dá a mínima para a crise do combustível

A Schaeffer apresentou um estudo sobre como seria o Audi RS3 do futuro, deixando o sedã esportivo ainda mais endiabrado. No lugar do motor 2.5, de cinco cilindros, que pode levar o modelo aos 100 km/h em apenas quatro segundos, uma unidade elétrica de 880 kW importada diretamente de um carro de Fórmula E. A nova combinação originou um veículo de turismo, com potência equivalente a 1.200 cv.

Audi RS3 Schaeffer tem 700 cv a mais que a versão convencional do esportivo alemão
Divulgação
Audi RS3 Schaeffer tem 700 cv a mais que a versão convencional do esportivo alemão

Os exageros não param por aí. O RS3 da Schaeffer pode acelerar de 0 a 200 km/h em apenas sete segundos. Neste tempo, o velocímetro de um Sandero R.S ainda nem teria tocado os 100 km/h. A receita para um desempenho tão espantoso inclui a instalação de quatro motores elétricos. Um em cada roda.

LEIA MAIS: Cinco motivos pelos quais você ainda terá um carro híbrido no Brasil

Neste caso, trata-se apenas de um estudo laboratorial sobre como aplicar a tecnologia da Fórmula E em veículos de produção, mas a Schaeffer deixou os fãs da Audi em polvorosa sobre o futuro dos carros elétricos.

Fórmula E ditando o futuro

Porsche Mission E revela um futuro brilhante sobre esportivos elétricos que estão prestes a começar a chegar às lojas
Divulgação
Porsche Mission E revela um futuro brilhante sobre esportivos elétricos que estão prestes a começar a chegar às lojas

Futuro, este, que já toma um encaminhamento na competição. A Porsche, por exemplo, se desligou da categoria LMP1, mesmo com três vitórias consecutivas garantidas pela equipe com o 919 Hybrid. O novo objetivo da marca de Stuttgart será a Fórmula E, onde os executivos acreditam que a equipe poderá se desenvolver mais ainda nas tecnologias aplicadas em carros urbanos.

LEIA MAIS: Jaguar I-Pace SVR bate recorde de aceleração

Assim como no Audi RS3 da Schaeffer, a Porsche também está de olho no futuro. “Para nós, a Fórmula E tem um ambiente mais competitivo para impulsionar o desenvolvimento dos nossos veículos urbanos. Queremos torná-los mais sustentáveis e eficientes”, disse Michael Steiner, membro do conselho da Porsche. A marca já está preparando um grande lançamento para o fim da década, inspirado na tecnologia da competição, e ele se chamará Mission E. Vale lembrar que, com a saída da Porsche, apenas a Toyota continua na categoria LMP1 como fabricante oficial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.