Tamanho do texto

Marca japonesa oficializa a estreia do sedã, que será mostrado na Tailândia com mais luxo, esportividade e espaço interno; veja o que já sabemos

Honda, City, sedã arrow-options
Reprodução
Honda City em um dos flagras, ainda rodando camuflado. Enfim, a nova geração deverá ter controle de estabilidade

Após diversas especulações, a Honda bateu o martelo sobre a data de estreia da nova geração do City. O modelo compacto será mostrado na Tailândia no próximo dia 25 de novembro e deverá chegar ao mercado asiático no início de 2020. No Brasil, sua estreia é aguardada para o primeiro semestre de 2021.

LEIA MAIS: Honda Fit da nova geração terá sistema híbrido mais inteligente

Poucos detalhes foram revelados pela fabricante japonesa. A única coisa que sabemos é que, nas palavras da própria Honda, a próxima geração do City será mais esportiva e luxuosa, além de contar com mais espaço.

A mídia asiática sugere que a próxima geração do City terá motor 1.0 turbo, de três cilindros, na casa dos 120 cv. As versões mais baratas terão câmbio manual de seis marchas, enquanto o topo de linha contará com transmissão automática do tipo CVT.

Rumores sobre versão híbrida

Honda, City, sedã arrow-options
Reprodução
Traseira do Honda City vai manter as linhas de um sedã tradicional, ao contrário do que aconteceu com o novo HB20S

O site indiano Livemint foi o primeiro a levantar a bola de que o Honda City poderia ter uma inédita versão híbrida. De acordo com a apuração, o modelo terá motor 1.5 a combustão, funcionando com outro propulsor elétrico para aumentar a autonomia. A configuração já se faz presente no sedã Insight.

LEIA MAIS: Veja todos os lançamentos da Toyota no Brasil até 2022

A identidade visual deverá se basear nas linhas do Accord atual, com ampla grade frontal e faróis com LED no lugar de lâmpadas convencionais. Dessa vez, o carro contará com controle eletrônico de estabilidade, item que será obrigatório em novos projetos a partir de 2020, e em todos os carros vendidos no Brasil, a partir de 2022.

O City ficou defasado

Honda City EX arrow-options
Divulgação
O Honda City nacional não traz controle de estabilidade e tração. Item que será obrigatório em 2022

Com a chegada de novos rivais, o Honda City ficou ultrapassado em nosso mercado, devendo itens que serão requisitos mínimos em um curto período de tempo (como os controles de estabilidade e tração).

LEIA MAIS: Saiba quais são as novidades na categoria dos elétricos e híbridos no Japão

Nos últimos anos, o VW Virtus estreou cluster 100% digital, o Ford Ka ganhou sistema de chamada de emergência e o Chevrolet Onix Plus apostou em internet wi-fi a bordo. Sem falar na defasagem do conjunto mecânico do City, que ainda conta com o motor 1.5, de quatro cilindros, lançado em 2008 no "irmão "Fit. Os rivais, vale lembrar, já integram motores 1.0, de três cilindros e turbinados. Uma renovação completa seria bem-vinda.