Concessionária arrow-options
Divulgação
Concessionárias têm de obedecer aos decretos de vários Estados, que exige o fechamento dos estabelecimentos até segunda ordem

A pandemia que atinge o mundo já começa a causar estragos no setor automotivo. Por outro lado, muitos já devem ter ouvido falar que crises podem ser boas para nos reinventarmos. Com os decretos que obrigam shoppings, lojas, concessionárias e outros estabelecimentos — que não hospitais, farmácias e supermercados — a permanecerem fechados, eis que começam a surgir comerciantes mais criativos.

LEIA MAIS: A Indústria automotiva precisa mudar de marcha pós-coronavírus

A Caoa Chery e a Hyundai anunciaram novidades. A marca chinesa já adota a estratégia de enviar vendedores às casas dos clientes para testar modelos e fechar negócios, enquanto que a corena oferece Creta e HB20 de test-drive para deslocar idosos e profissionais de saúde durante todo o período de isolamento, podendo chegar a mil carros. Para ambas as marcas, o público contemplado pelas ações das concessionárias deve entrar em contato e realizar um agendamento.

Será que os esforços vão compensar?

Lojas arrow-options
Divulgação
Em entrevista com especialista, vemos que cada um tenta de um jeito, mas não será mesmo tão fácil

Conversamos com o especialista de mercado automotivo, Leonardo Macedo, que elogiou a iniciativa da Hyundai pela causa social e porque acredita ser uma boa estratégia de marketing, como também a ideia da CAOA Chery de higienizar o carro a cada test-drive, além de oferecer máscaras e alcool em gel. Entretanto, quanto a esta última marca, Leonardo disse que a ação ainda pode não ser o bastante para atrair os clientes.

Macedo acredita que, "de maneira geral, os clientes estão resistentes a fechar negócio neste período. Conheço concessionárias que estão trabalhando de portas fechadas, realizando telefonemas a potenciais clientes, mas não estão conseguindo muita coisa com isso. Um cuidado que se deve tomar é que há pessoas que estão se sentindo perturbadas".

LEIA MAIS: Confira 5 passos, os cuidados e o que fazer para uma boa compra de seminovo

Além disso, Macedo lembra que houve concessionárias tentando atender clientes presencialmente, mesmo que de portas fechadas. Entre as paulistanas, uma foi pega pela fiscalização. Além de ter sido lacrada, teve que pagar uma multa no valor de R$ 83 mil.

Quanto aos lojistas, o especialista tem observado que a maioria deles, e seus funcionários, estão em casa. Entretanto, não deixam a criatividade de lado, conforme afirma para a redação do iG Carros.

“Pelo fato da grande maioria deles ter seus carros anunciados na internet, uma saída tem sido marcar com o interessado dos classificados em algum lugar que não a própria loja. Nisso, o dono ou o vendedor vai à loja apenas para retirar aquele carro específico, e ir se encontrar com o cliente”.

LEIA MAIS: Confira 5 itens que desvalorizam o carro na hora da revenda

Assim, o mercado automotivo vai tentando driblar a crise do coronavírus . O setor vinha se recuperando depois de anos difíceis. A venda de veículos novos cresceu 8,65% em 2019, quando foram emplacados 2,78 milhões de veículos no País.

As previsões para 2020 terão que ser revistas.  Por enquanto, as estimativas mais plausíveis apontam para uma queda de 40% nas vendas em 2020 em relação ao ano anterior.  De qualquer forma, até pelas incertezas que pairam sobre o setor automotivo, tendência é evitar o desemprego em massa nas montadoras, no setor de autopeças, em concessionárias , locadoras e outras áreas similares.

    Veja Também

      Mostrar mais