Honda City antigo já não pode mais ser encontrado na rede de concessionárias da marca, às vésperas da chegada do novo
Divulgação
Honda City antigo já não pode mais ser encontrado na rede de concessionárias da marca, às vésperas da chegada do novo

A nova geração do Honda City vai chegar às lojas no Brasil. Já em sua quinta geração, a novidade estreia no segmento dos compactos em duas variantes. A sedã e a hatch (esta que substitui o Honda Fit). As vendas do novo  Honda City sedã iniciarão em janeiro, enquanto o hatch começará em março.

O sedã será oferecido em três versões (EX, EXL e Touring) e o City Hatch em duas (EXL e Touring). Mas como será que andam os City antigos e os Fit remanescentes?

Conforme apurou a reportagem do iG Carros , depois de contactar a rede da Honda em São Paulo, as ofertas de City e Fit antigos estão escassas. Faz quase dois meses que não há mais estoque do Honda City 2021, enquanto há poucos concessionários com o Honda Fit à venda. No caso do monovolume, a maioria está sendo vendida com preços acima da tabela sugerida pela fabricante.

Quanto ao Honda Fit, nas lojas que ainda têm alguns no estoque, a maioria é vendida mais caro do que sugere a tabela
Divulgação
Quanto ao Honda Fit, nas lojas que ainda têm alguns no estoque, a maioria é vendida mais caro do que sugere a tabela

Além disso, várias concessionárias estão equipando os modelos antigos com os novos acessórios , podendo, assim, cobrar mais caro pelo modelo. Outro dado importante que apuramos, falando de preços , é que, mês que vem, a Honda vai encarecer todos os seus carros em 2%. Logo, se pretende comprar um, não espere a tabela subir.

A realidade é que, com a escassez de matéria prima no Brasil e no mundo, a produção, naturalmente, ficou comprometida no setor automotivo. Isso levou ao encarecimento dos preços de carros novos, algo que levou ao aumento de preços também entre os seminovos .

Lançamento do ano

Honda City da nova geração oferece uma série de melhorias em relação ao antigo e ao Fit
Divulgação
Honda City da nova geração oferece uma série de melhorias em relação ao antigo e ao Fit

O novo City viu todos os seus conjuntos mecânicos serem atualizados. Seu motor 1.5 16v aspirado agora recebe a tecnologia ‘DI DOHC i-VTEC’, ou seja, com injeção direta de combustível e dois comandos de válvulas no cabeçote, com recalibração do gerenciamento do variador de fase. Isso resulta em 126 cv e 15,5 kgfm (gasolina e etanol).

Leia Também

Leia Também

Leia Também

Leia Também

Além disso, a Honda exibe os resultados dos testes realizados pelo Inmetro para homologar seus números de consumo. De acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), o City sedã tem consumo na cidade de 9,2/13,1 km/l (etanol/gasolina) e, na estrada, de 10,5/15,2 km/l, respectivamente. Já o hatch registrou 9,1/13,3 km/l e 10,5/14,8 km/l.

A carroceria foi aprimorada em relação ao antigo City e ao próprio Fit . Se tornou mais longa, larga e baixa, tanto no sedã como no hatchback. Oferece maiores dimensões em todos os aspectos e mais espaço para pessoas e bagagem.

Na comparação com o atual City, o novo sedã é 53 milímetros mais largo e 94 mm mais comprido. Tem altura total 8 milímetros menor. Com seus 4.549 milímetros de comprimento, o Honda City sedã é o novo maior do segmento em comprimento.

A Honda também se preocupou em aprimorar a qualidade dos materiais e da montagem, que, segundo ela, equipou o novo City com acabamento sensível ao toque em todo o interior.

Além disso, todas as versões (EX, EXL e Touring) trazem botão de partida do motor, sistema de destravamento por proximidade da chave, ar-condicionado digital, nova central multimídia   de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay sem-fio e câmera de ré multivisão.

Os preços do novo City hatch serão divulgados apenas no início da etapa de pré-venda. Entretanto, já temos a tabela do sedã, para todas as versões. EX: R$ 108.300, EXL: R$ 114.700 e Touring: R$ 123.100.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários