De janeiro e outubro de 2021 foram vendidos  27.097 carros elétricos, alta de 74% se comparado ao mesmo período de 2020
Divulgação
De janeiro e outubro de 2021 foram vendidos 27.097 carros elétricos, alta de 74% se comparado ao mesmo período de 2020

De janeiro a outubro de 2021, foram vendidos 27.097 veículos elétricos no Brasil, número que deve chegar a 30 mil até o fechamento do ano. Trata-se de um recorde de vendas desse tipo de carro no país, um aumento de 74% em relação a 2020. Os dados são da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Para Carlos Gabriel Bianchin, pesquisador especialista do centro de ciência e tecnologia Lactec, a subida nos números era prevista. “Mesmo em um ano pandêmico, o mercado estava trabalhando com expectativas mais positivas. É uma tendência que deve se repetir nos próximos anos, com forte possibilidade que em 2025 tenhamos um aumento ainda maior”, pontua.

Isso porque as montadoras vivem uma corrida para baratear os custos de produção desses veículos e tornar o seu preço mais competitivo. O investimento inicial em um carro elétrico com autonomia de 300 a 350 km se aproxima dos R$ 200 mil, enquanto um veículo movido a combustível fóssil com o mesmo rendimento pode custar a partir de R$ 40 mil. “O grande gargalo para o crescimento desse modal é o preço”, explica o pesquisador.


Falta regularização e infraestrutura de recarga

Ainda são poucos os pontos de recarga para carros elétricos espalhados pelo Brasil hoje em dia
Divulgação
Ainda são poucos os pontos de recarga para carros elétricos espalhados pelo Brasil hoje em dia


Além do valor para o consumidor final, a popularização dos carros elétricos esbarra na infraestrutura de recarga disponível. É preciso garantir que os compradores que queiram viajar, por exemplo, possam contar com eletropostos por toda a extensão do caminho.

Leia Também

A recarga nos eletropostos existentes atualmente ainda não é regularizada, o que significa que não é taxada como o combustível disponível nos postos convencionais.

O Lactec, que desenvolve soluções de eletrificação desde 2010, é pioneiro na bilhetagem deste tipo de serviço. “É fundamental que o mercado possa ter este negócio viabilizado e as empresas se interessem, o que o tornará mais atrativo para empresas e usuários”, esclarece Carlos Gabriel Bianchin.

O centro de ciência e tecnologia também viabilizou o desenvolvimento de um carregador rápido com tecnologia nacional e 50 kW de potência de carregamento. Com esse tipo de equipamento, a implantação de sistemas de carga de alta potência com menor custo e o deslocamento dos veículos elétricos entre cidades podem se tornar realidade.

O Lactec vem atuando em projetos de implantação de sistemas de recarga , eletrovias, sistemas de bilhetagem para recarga de veículos elétricos , modelos de negócio para comercialização de energia em eletropostos e desenvolvimento de um caminhão elétrico para empresas distribuidoras de energia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários