São 3.102 módulos e 10 inversores, que ocupam dois hectares do terreno da fábrica
Divulgação
São 3.102 módulos e 10 inversores, que ocupam dois hectares do terreno da fábrica

A multinacional japonesa NGK , especialista em sistemas de ignição de alta tecnologia, anuncia o investimento de R$ 2 milhões para instalação de uma nova usina de energia solar dentro de sua fábrica em Mogi das Cruzes (SP).


Essa iniciativa vai ampliar o abastecimento que possibilitará o aumento da capacidade de geração em 36% e está alinhado com o programa global Ecovison 2030 que estabelece metas de resposta às mudanças climáticas, expansão de produtos ambientalmente amigáveis, conservação de recursos hídricos e gerenciamento de resíduos.

A companhia já é detentora do maior sistema fotovoltaico da região do Alto Tietê, instalado em março de 2021 e composto por 3.102 módulos e 10 inversores, que ocupam dois hectares do terreno da fábrica.

Além da geração própria de energia solar, a NGK reprocessa 90% de seus resíduos (12 toneladas por mês) e recicla 70% da água utilizada (295 m³ ao mês) por meio de uma estação de tratamento de efluentes da própria fábrica.

De acordo com Eduardo Tsukahara, diretor gerente da empresa, a energia solar vem sendo utilizada pela companhia como alternativa para solucionar desafios energéticos globais, uma vez que provém de fonte limpa e renovável.

“A NGK busca, constantemente, colaborar com a sustentabilidade de suas operações. Dessa forma, considera a usina fotovoltaica um projeto de expressiva importância para alcançar as metas ambientais estabelecidas”, afirma Tsukahara.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários