Chegada oficial do Impala ocorreu em 1957, já como modelo 1958. Veio, inicialmente, como um Bel Air Impala
Reprodução
Chegada oficial do Impala ocorreu em 1957, já como modelo 1958. Veio, inicialmente, como um Bel Air Impala

A General Motors apresentou a primeira unidade do Impala em 1956, durante o evento do Motorama Car Show, projeto este viria suceder outro clássico, o Bel Air de 1952.

O carro tinha uma missão quase impossível, considerando o seu recorde de vendas, 1.621.0004 unidades, ajudando a manter a Chevrolet como número 1 dos EUA. O lançamento oficial do Impala aconteceria um ano depois, em 1957, já como modelo 1958.


O Impala era baseado em um cupê de grandes dimensões, com mais de cinco metros de comprimento e 2000 kg e motores de alta potência.

Quanto aos motores, na linha Impala variavam as opções entre o seis cilindros de 3,85 litros ao V8 de 5,7 litros , com até 280 cv.

Na linha 1958 do Impala, ainda podia contar com uma versão de teto aberto, além da Hardtop (teto rígido). Esta versão podia ser facilmente confundida com um conversível devido ao desenho do teto assemelhar-se a uma capota removível e ser, dependendo da versão, de outra cor em relação à carroceria.

Em comparação ao primeiro projeto , o novo carro estava com linhas mais amplas e limpas, graças a nova área envidraçada, que aumentava consideravelmente a visão tanto dos passageiros da frente quanto aos de trás.

O Impala era baseado em um cupê de grandes dimensões, com mais de cinco metros de comprimento.
Reprodução
O Impala era baseado em um cupê de grandes dimensões, com mais de cinco metros de comprimento.


Acostumados com aquelas tradicionais 'banheiras' sobre rodas, os americanos consideravam o Chevrolet Impala um esportivo para quatro ocupantes por causa de sua altura em relação ao solo – extremamente baixa – para um carro desse porte, além da largura, que ajudava nas curvas feitas em alta velocidade.

O estilo assinado pela dupla Harley Earl / Bill Mitchell, que procuravam dar ao carro linhas clássicas e simples, como os adereços cromados, como, por exemplo, nas grades, frisos e nas rodas . A frente tinha os tradicionais pares de faróis circulares. A traseira seguia o mesmo estilo com lanternas.

Uma das características principais dos modelos  Impala era o seu câmbio mecânico de três marchas instalado na coluna de direção, tipicamente ao gosto de dirigir dos americanos.

Chevrolet Impala Convertible 1958, com linhas elegantes e que marcaram época de ouro da indústria americana
Reprodução
Chevrolet Impala Convertible 1958, com linhas elegantes e que marcaram época de ouro da indústria americana

Outros detalhes são os bancos forrados em couro – sendo o da frente inteiriço – que acomodava muito bem três passageiros. No painel, estavam todos os relógios a mostra como velocímetro com escala até 120 mp/h em posição horizontal, igual ao dos Ford Galaxie.

Logo abaixo estavam os mostradores circulares da temperatura do motor, relógio analógico e nível de combustível. Nas primeiras versões, o volante possuía dois raios e era feito em plástico rígido com adereços cromados em sua extremidade.

Motores disponíveis para o Impala

Leia Também

Entre os motores, estavam disponíveis o 348 Turbo Thrust de 5.893 cm³ cuja potência chegava aos 250 cv . Fora este, a General Motors ainda disponibilizou o Super Turbo Thrust , com 30 cv a mais nesta versão, graças à adoção de três carburadores de corpo duplo.

Chevrolet Impala 1958 com interior vermelho foi um dos ícones dos modelos norte-americanos
Reprodução
Chevrolet Impala 1958 com interior vermelho foi um dos ícones dos modelos norte-americanos


Segundo fontes especializadas, este motor tinha um excelente torque mesmo em baixas rotações. No ano de 1957, os Impala começavam a vir com câmbio automático de duas marchas,  batizado de Turboglide , substituindo o já consagrado Powerglide.

Além disso, o Turbo Fire de 283 pol³ (98,4 x 76,2 mm, 4.636 cm³) e injeção mecânica Rochester continuava a ser comercializado. A versão de entrada da linha Impala vinha com motor de seis cilindros em linha Blue Flame , com 235 pol³ (90, 42 x 97,48 mm, 3.838 cm³), idêntico ao dos primeiros Corvette . E por último, ainda tinha o 230 de 3.768 cm³ (98,42 x 82,55 mm), o mesmo que era colocado nas primeiros unidades do  Opala.

Dois anos mais tarde, uma reestilização deixava o Impala com uma personalidade própria, deixando de lado a inspiração no Bel Air, que era substituído no topo da linha. As variações de carroceria podiam ser desde sedãs, cupês, peruas e conversíveis.

Linha 1959 ganhou a traseira em forma de 'asa-de-gaivota' e não fazia cerimônia em ser extravagante
Reprodução
Linha 1959 ganhou a traseira em forma de 'asa-de-gaivota' e não fazia cerimônia em ser extravagante

O grande destaque na linha 1959 era a carroceria com estilo 'asa-de-gaivota' como a traseira que contava com lanternas ovaladas. Muitos chamavam este estilo de flat-top deck (convés de porta-aviões) . Um ano mais tarde, nascia o mito SS (Super Sport), inspirado através dos tradicionais circuitos ovais da Nascar .

O Impala SS tinha como destaque o câmbio esportivo instalado no assoalho, exatamente como acontecia no circuito da Nascar . Obviamente, a versão mais brava possuía um super motor V8 348 e 409 pol³ (109,55 x 88,90 mm, 6.703 cm³), com potência de 305 cv , no 348 mais fraco, até 360 cv , no 409 equipado com coletor de admissão em alumínio, carburador quadrijet Carter, tuchos mecânicos e taxa de compressão de 11,25: 1.

Chevrolet Impala SS Convertible 1962 tinha frente de quatro faróis redondos entre as principais mudanças
Reprodução
Chevrolet Impala SS Convertible 1962 tinha frente de quatro faróis redondos entre as principais mudanças


Em 1962, a versão apimentada SS era disponibilizada para o conversível com diversas opções de motorização como até o 'anêmico' 230pol³ de seis cilindros em linha e 3,8 litros do primeiro Opala . Já no ano seguinte, o Impala ganhou um motor mais forte, de absurdos 430 cv cuja produção foi de apenas 55 unidades.

No ano de 1964, o Impala ganhava um novo desenho, mais limpo e neste mesmo ano, muitos colecionadores e entusiastas classificavam o veículo como o último clássico produzido pela General Motors . Neste ano, surgiu o Pontiac GTO, o pioneiro dos muscle cars, segundo fãs da marca.

Chevrolet Impala Station Wagon 1964 tem bastante espaço na traseira, com seis pequenas lanternas
Reprodução
Chevrolet Impala Station Wagon 1964 tem bastante espaço na traseira, com seis pequenas lanternas


O Impala ainda ganharia outras versões, carrocerias, acabamentos e opções de motor e até hoje este mito da indústria automobilística é fabricado pela General Motors americana, porém o estilo esportivo dos anos 50 que o antecedeu se perdeu drasticamente ao longo do tempo. Mas a partir deste período já é uma outra história!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários