Renault Kwid E-Tech: Nas primeiras impressões, notamos como o carro é bem similar ao dirigir que o Kwid comum
Divulgação
Renault Kwid E-Tech: Nas primeiras impressões, notamos como o carro é bem similar ao dirigir que o Kwid comum

O mercado acaba de conhecer o elétrico mais em conta do Brasil. Por R$ 142.990, o Renault Kwid E-Tech deve ajudar a impulsionar as  vendas do segmento no país. Tivemos a oportunidade de conhecer a novidade, após percorrer algumas voltas no Kartódromo Aldeia da Serra (SP). Em resumo, achamos curioso como o carro conserva muitas das características da versão a combustão.

Entretanto, a Renault também revela planejamentos para a boa aceitação da novidade. Entre eles está o Renault On Demand , serviço de carro por assinatura, que permitirá os clientes utilizarem o Kwid elétrico sem que seja necessário a compra. Para descobrir mais detalhes, entrevistamos Carlos Henrique Ferreira, diretor de Comunicação da Renault do Brasil, e Gustavo Rotta, gerente de Marketing de Produto. Ouça a seguir.

“Acreditamos que o nosso Kwid elétrico vai começar uma revolução eletrificada no Brasil. É um produto que fará a função de “passaporte elétrico” para o consumidor brasileiro. A força do carro se dará pelas novidades que introduz, bem como pelo seu preço competitivo, e também pela forma de mobilidade que irá proporcionar”, afirma Ferreira.

“A perspectiva de vendas para o segundo semestre é de que venda cerca de 1.000 unidades , levando em conta que vai chegar aos compradores em agosto. Vemos que o perfil para o carro são famílias com dois ou mais carros, empresas e pessoas que gostam de tecnologia ”, complementa Gustavo Rotta.

Apesar de ser mais caro que o Kwid convencional , a marca reforça que o modelo elétrico se torna mais em conta que o térmico. De acordo com os dados apresentados, considerando o custo do kWh a R$ 0,66 e o da gasolina R$ 7,30. Para quem fizer a reserva do Renault On Demand , a mensalidade será de R$ 2.999.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários