Monitoramento eletrônico do trânsito ajuda a reduzir acidentes e mortes, segundo estudo  da RENAEST
Marcelo Casal Jr/Agencia Brasil
Monitoramento eletrônico do trânsito ajuda a reduzir acidentes e mortes, segundo estudo da RENAEST


De acordo com dados divulgados pelo Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (RENAEST), da Secretaria Nacional de Trânsito, pasta do Ministério da Infraestrutura, o número de mortes por acidentes de trânsito caiu em 30% no Brasil, entre os anos de 2011 e 2020.


Em 2011 o Brasil registrou 44.553 mortes resultantes de acidentes de transporte . O número baixou para 33.625 em 2018 e para 11.647 em 2021. Já o número de acidentes em 2021, foi de 632.764 registros, volume 33% menor se comparado ao ano de 2020, com 845.872 acidentes.

Com as novas regras no Código Brasileiro de Trânsito (CTB) - que passaram a valer neste ano - e investimentos em educação e planejamento estratégico especialistas acreditam que os números de acidentes no Brasil deverão melhorar.

Entre as tecnologias que têm ajudado a reduzir o número de acidentes no trânsito estão os radares , que atualmente são dotados de softwares que também conseguem emitir dados referentes à quantidade de pessoas que se deslocam de uma origem a um destino, de acordo com o horário, modo de transporte utilizado, (matriz origem-destino), velocidade média, tempo médio de percurso, entre outros.

O especialista em mobilidade, Guilherme Araújo, conta que a partir dos dados gerados pelos radares é possível comprovar uma redução média de até 35 vezes no comportamento irregular dos condutores em locais em que os equipamentos estão instalados.

Em apenas um mês a Velsis, uma das empresas brasileiras responsáveis pela fabricação de tecnologia em mobilidade , monitora três vezes mais do que o valor da frota nacional em passagens de veículos. Ao todo, são 370 milhões de passagens fiscalizadas por meio de equipamentos instalados em rodovias e vias do país.

“Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os radares servem para garantir a segurança da população. Ao aferir a velocidade, a tecnologia ajuda a evitar acidentes e mortes em vias, rodovias e em locais como no entorno de escolas, hospitais e residências”, afirma Guilherme Araújo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários