Tamanho do texto

Quer muito conforto mesmo em estradas de terra bem ruins? Então vá de BMW R 1200 GS Exclusive!

A BMW R 1200 GS na versão Premium+ e com o pacote Exclusive: as rodas raiadas com pneus sem câmera são as preferidas
Gabriel Marazzi
A BMW R 1200 GS na versão Premium+ e com o pacote Exclusive: as rodas raiadas com pneus sem câmera são as preferidas

Sempre que vejo uma BMW com motor bicilíndrico boxer a memória me leva ao extremo início da minha “carreira” sobre uma motocicleta: na garupa! A primeira moto em que eu tive o prazer de passear foi uma BMW R 50 de 1951, a primeira que meu pai comprou depois de um longo período sem elas, imagino eu que devido a um certo cuidado pessoal desde que seus filhos nasceram. Em 1968, com oito anos de idade, eu já podia acompanhar meu pai nos passeios de moto na então deserta Cidade Universitária, em São Paulo, e a BMW foi a primeira de muitas, que incluía várias Ducati, Jawa e até uma incrível HRD Vincent. Tudo ao mesmo tempo. Acho que ele estava descontando o tempo perdido.

LEIA MAIS: Honda Biz 2018 agora tem freios combinados

Na BMW, eu ia feliz em um desconfortável banquinho sobre o rígido e pesado para-lama traseiro, enquanto ele pilotava sentado em um também desconfortável selim tipo bicicleta, apoiado em molas. A BMW R 50 de 1951 já tinha suspensão traseira, não era “rabo duro”. A primeira moto ninguém esquece.

Cinquenta anos depois, o bicilíndrico boxer evoluiu assustadoramente, mais ainda se o compararmos ao boxer da primeira BMW, a R32 de 1923. Tanto que ainda pode fazer bonito em uma configuração pouco provável nos dias de hoje. Mais ou menos como os Porsche 911, que com um potentíssimo motor “pendurado” na traseira ainda pode ser considerado um dos melhores automóveis do mundo.

A primeira BMW GS surgiu ainda nos anos 80, depois que protótipos com esse tipo de motor venceram várias edições do Rally Paris Dakar. As versões “civis”, então, passaram a fazer muito sucesso. Na BMW R 1200GS atual, o boxer de 1.170 cm3 desenvolve a potência de 125 cv, um valor não muito alto quando comparado a outras big trail de menores cilindradas, mas com torque muito linear e uma suavidade extrema de funcionamento, a ponto de ser possível enfrentar trilhas aparentemente impossíveis para seu tamanho com muita facilidade. O melhor para a R, no entanto, ainda é uma boa estrada asfaltada, já que é um dos modelos preferidos pelos aventureiros de longas distâncias.

LEIA MAIS: Harley-Davidson Fat Bob mudou (muito) pra melhor

Apesar de seu tamanho avantajado, a R 1200 GS é uma motocicleta fácil de ser pilotada, mesmo no trânsito urbano, onde é preciso um pouco de “jinga” para driblar o trânsito pesado e passar nos espaços deixados pelo automóveis.

Seu bolso!

A versão atual da BMW R 1200 GS foi apresentada no ano passado no Salão de Milão e teve suas vendas iniciadas no começo deste ano. Com muitos detalhes renovados, como para-lama dianteiro, novos defletores de ar, painéis laterais e novo painel de instrumentos, a GS está disponível nas versão Sport+ e Premium+. A de entrada Sport+, que custa R$ 64.900, vem com iluminação de leds, iluminação diurna, aquecimento de manoplas, controle de pressão dos pneus, controlador eletrônico de velocidade (cruise control) e protetores de mãos.

LEIA MAIS: Uma volta ao passado com a Kawasaki Z900RS

A versão Premium+, que adiciona R$ 10.000 no preço, tem a mais o controle de tração, ajuste eletrônico de suspensão, sistema de partida e trava de tanque keyless, assistente de partida em subida, computador de bordo Pro, assistente de troca de marchas, modo de pilotagem, preparação para GPS, controle de estabilidade, suporta para malas laterais e rodas raiadas. Essa versão da BMW R, também por mais um tantinho de reais (R$ 1.000), pode receber o pacote Exclusive, presente na motocicleta avaliada em forma de cores e acabamentos mais estilosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.