Tamanho do texto

Eternizado nas mãos de Steve McQueen no filme Bullitt (1968), o modelo original foi atração do Salão de Detroit (EUA)

Alguns filmes – definitivamente – estão no rol, e na estante, de milhares de entusiastas automotivos no mundo todo. Bullitt é um deles. O cult movie de 1968 conta a história de Frank Bullitt, um policial que tem como missão proteger uma testemunha contra assassinos perigosos. Cinquenta anos depois, o filme renderia uma nova versão do cavalo prateado, chamada Mustang Bullitt.

LEIA MAIS: Santa Matilde: o clássico fora de série mais luxuoso de sua época

Até aí nada demais. Porém no seu uso diário ele dirige um Mustang fastback verde musgo, sem badges, para rodar discretamente pelas ruas de São Francisco. A coisa toda segue nessa toada até que o carro dos vilões aparece. E não é qualquer carro, mas sim um Dodge Charger preto cheio de más intenções. Nasce o ícone Mustang Bullitt .

Nesse ponto ocorre uma das perseguições mais incríveis da história do cinema. Com mais de dez minutos de duração temos as cenas do Dodge e do Mustang voando baixo – literalmente – pelo sobe e desce frenético da cidade. As imagens são de tirar o fôlego e valem cada minuto, com direito a repetição.

LEIA MAIS: LTD foi a primeira versão de luxo do Ford Galaxie no Brasil

O sucesso do filme fez bem à Ford e também à Dodge, comercialmente falando. A primeira lançou edições especiais em homenagem ao filme nas décadas de seguintes. A última foi revelada recentemente no Salão de Detroit. Há alguns anos a versão de 2001 fez sua estreia e, sete anos mais tarde, mais uma geração.

Reunimos um exemplar de 1967 e um de 2008 para contar a história dessa semana. O clássico fastback foi montado nos Estados Unidos e traz o icônico 390 V8 sob o capô, com seus 6,4 litros, 320 cv e 59 kgfm de torque. Além disso o pacote fica completo com o câmbio manual, mais moderno, de cinco velocidades.

Blockbuster

Ford Mustang Bullitt: trocando as ladeiras de São Francisco, na Califórnia, pela capital paulista
Renato Bellote/iG
Ford Mustang Bullitt: trocando as ladeiras de São Francisco, na Califórnia, pela capital paulista

Já o tributo de 2008 pertence a uma série especial numerada e cheia de detalhes nostálgicos. Debaixo do capô um V8 de 4,6 litros e 315 cv. Nessa edição especial a marca caprichou com detalhes estéticos e também de ordem técnica, como o sistema de escapamento exclusivo.

LEIA MAIS: Passat com preparação de época chega aos 120 cv de potência

Acelerar os cavalinhos selvagens é sempre a parte mais divertida. O Mustang Bullitt de 1967 entrega brutalidade, nostalgia e o som único do big block carburado. Já o 2008 empolga pelo acerto do conjunto e dirigibilidade mais aprimorada. Em breve trarei mais estrelas de cinema por aqui. Fiquem ligados!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.