Maverick Super Luxo foi ícone durante a década de 70 com motor V8, câmbio na coluna de direção e ar-condicionado
Renato Bellote/iG
Maverick Super Luxo foi ícone durante a década de 70 com motor V8, câmbio na coluna de direção e ar-condicionado

No final da década de 60 a Dodge lançou o da Dart no Brasil. Uma de suas características mais apreciadas foi o motor 318 V8, o menor na gama de opções dos Estados Unidos, porém na época o maior vendido em nosso país. O lançamento foi uma resposta ao F ord Galaxie que havia sido lançado dois anos antes e fazia sucesso com consumidores de alto poder aquisitivo.

Já no início dos anos 70 a Ford fez alguns laboratórios com possíveis clientes e pensava em trazer ao mercado nacional o Maverick ou o Taunus, poder europeu que provavelmente usaria o motor seis cilindros. Por fim a escolha recaiu sobre o primeiro, que já fazia muito sucesso nos Estados Unidos, com algumas opções de motorização.

O Maverick que chegou Brasil em 1973. O slogan era exatamente esse: "a fórmula Ford contra a rotina". A versão GT foi apresentada e trazia faixas laterais, um aspecto esportivo e o motor de 4,9 litro e 302 polegadas cúbicas. Vale lembrar que era uma versão espartana em termos de acabamento perto do Dodge Charger R/T e o Opala SS.

Além da versão cupê surgiu também o sedã. A carroceria era um pouco mais comprida exatamente para que os passageiros do banco traseiro tivessem um pouco mais de espaço, algo que faltava ao duas portas. Um detalhe também que se destacou nesse carro foi a transmissão de quatro velocidades.

O modelo podia ser comprado com três opções de motorização: quatro cilindros e 2,3 litros (feito em Taubaté), seis cilindros (o mesmo utilizado pela Willlys) e o já citado V8, que conferia ao modelo um desempenho superior e, sem dúvida nenhuma, muito mais empolgante.

O exemplar da nossa matéria traz motor ver oito, câmbio manual na coluna de direção e também o ar-condicionado, provavelmente instalado na concessionária. Com esse conjunto ele consegue mesclar sobriedade, um bom acabamento e também força bruta quando a ideia é acelerar.

Muito se fala que a provável escolha do público teria sido o Taunus. Mas de qualquer forma o Maverick , apesar de não ser um estrondoso sucesso de vendas, conseguiu um lugar interessante na história da Ford no Brasil. Em breve trarei aqui uma versão bastante customizada e cheia de estilo. Aguardem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários