Tamanho do texto

O grupo franco-japonês, que comprou recentemente a Mitsubishi, liderou o ranking mundial de vendas em junho e ultrapassou a Toyota no ano

O Nissan Qashqai é o carro mais vendido da Aliança Renault-Nissan, com 253 mil unidades, mas está apenas em 19º lugar no ranking global
Divulgação
O Nissan Qashqai é o carro mais vendido da Aliança Renault-Nissan, com 253 mil unidades, mas está apenas em 19º lugar no ranking global

Se você quiser ter uma ideia das verdadeiras forças da indústria automobilística mundial, esqueça o Brasil. O mercado brasileiro só é relevante na América do Sul. Alguns fabricantes que brilham aqui são apenas coadjuvantes na guerra mundial e outros, que não emplacam na terra dos Gol, Palio e Onix (nossos últimos campeões), vão muito bem lá fora.

LEIA MAIS: Volta do Volkswagen Gol GTI foi sonho de uma noite de versão

Para se ter uma ideia, a FCA (Fiat Chrysler Automobiles), que disputa carro a carro a liderança com a GM (General Motors) no Brasil, é apenas a 9ª colocada no ranking mundial de vendas. E a GM, embalada pela forte presença da Chevrolet em Pindorama, ocupa a 4ª posição. A grande surpresa da indústria mundial em 2017 é a Aliança Renault-Nissan . O grupo franco-japonês foi o que mais vendeu carros de passeio e comerciais leves no mundo em junho, segundo a consultoria Focus 2 Move, que computou as vendas de 140 mercados. Foram 924 mil veículos leves vendidos das marcas Renault, Nissan, Dacia, Datsun e Mitsubishi (adquirida no ano passado por US$ 2,3 bilhões).

LEIA MAIS: Novo Polo toma o poder no Game of Thrones da Volkswagen

Placar agregado

O Corolla é um dos responsáveis por manter a Toyota entre os três fabricantes de maior sucesso no mundo e lidera o ranking com 615 mil vendas
Divulgação
O Corolla é um dos responsáveis por manter a Toyota entre os três fabricantes de maior sucesso no mundo e lidera o ranking com 615 mil vendas




No ranking do primeiro semestre completo, a dobradinha Renault-Nissan também brilhou. Pela primeira vez nos últimos cinco anos um fabricante se intrometeu no meio da briga dos grupos Volkswagen (inclui Audi e outras marcas) e Toyota (inclui Lexus). Os números de venda globais do primeiro semestre e as variações em relação ao mesmo período do ano passado são os seguintes:

Volkswagen 5,126 milhões +0,9%
Renault-Nissan 5,072 milhões +7,9%
Toyota 4,943 milhões + 2,9%
GM 3,813 milhões -0,3%
Hyundai-Kia 3,435 milhões -11,9%
Ford 3,144 milhões -2,1%
Honda 2,601 milhões +9,5%
FCA 2,529 milhões +1,8%
PSA 1,610 milhão -5,6%
Suzuki 1,447 milhão +9,3%


Chama atenção as quedas vertiginosas de duas duplas: a coreana Hyundai-Kia (-11,9%) e francesa Peugeot-Citroën (-5,6%). Numa demonstração de que a indústria japonesa vive um bom momento, além da própria Aliança Renault-Nissan (que subiu 7,9% com o reforço da Mitsubishi), a Honda e a Suzuki tiveram os maiores crescimentos entre os 10 maiores grupos, com 9,5% e 9,3%, respectivamente.

LEIA MAIS: A guerra dos SUVs não é pra qualquer um

O Volkswagen Golf não vende nada no Brasil, mas é o segundo carro mais emplacado no mundo, com 443 mil unidades em seis meses
Divulgação
O Volkswagen Golf não vende nada no Brasil, mas é o segundo carro mais emplacado no mundo, com 443 mil unidades em seis meses

Quanto ao ranking de carros, o Japão continua dando as cartas, com dois modelos entre os quatro mais vendidos no primeiro semestre de 2017 – e ambos com sucesso também no Brasil. O Toyota Corolla lidera com 615 mil vendas, seguido da picape Ford F-Series (519 mil), do Volkswagen Golf (443 mil) e do Honda Civic (393 mil).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.