Tamanho do texto

Mais de 800 km de viagem e até 10 mil anos no passado ao longo da Chapada dos Guimarães (MT). Veja a nossa experiência com a nova picape

Nissan Frontier SE
Cauê Lira/iG Carros
Nissan Frontier SE

Imagine um lugar cheio de cachoeiras, lagoas, cavernas e trilhas, em meio a uma natureza típica de cerrado. Ali, nesse pedacinho de Brasil localizado no meio do nada, está a origem do povo que viveu por aqui milênios antes dos portugueses chegarem com suas naus repletas de desejos de conquistas. Voltamos ao passado na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, para desbravar o início do Brasil. É um trajeto complicado, mas por sorte, a nova Nissan Frontier SE mostrou que tem apetite para a lama. Com as palavras sujas de terra, venho por meio dessa para contar como foi.

LEIA MAIS: Toyota Hilux ganha novas versões e série especial Challenge

Antes de começar a jornada com a Nissan Frontier , algumas dicas de especialistas da região. O clima na Chapada dos Guimarães é tropical, com temperaturas altas e grande volume de chuvas no verão. A amplitude térmica fica na casa dos 23°C e 33°C. Para evitar acidentes com algumas espécies de cobras típicas do cerrado, precisaríamos utilizar perneiras - uma proteção para canela e panturrilha - durante nossas trilhas e visitas a sítios arqueológicos.

Nosso trajeto começa em Cuiabá, na capital mato-grossense. Ao volante da nova versão SE, deu pra sacar que a picape aguenta o tranco no meio urbano. Dirigir uma caminhonete na cidade pode ser cansativo por conta da posição de dirigir mais elevada, entretanto, isso não foi um problema por conta dos bancos. Na versão SE, eles aparecem em tecido e sem ajustes elétricos para o motorista. E mesmo com toda a simplicidade, eles surpreendem pelo conforto. Dirigir a Frontier na cidade é como andar de sedã médio, e isso não é exagero, como você verá nos próximos parágrafos. Com a viagem tranquila, o que me resta é apreciar as belezas naturais que decoram o caminho entre Cuiabá e a Chapada dos Guimarães. Um percurso de aproximadamente 60 km.

O primeiro ponto de parada é o Sítio Arqueológico de Santa Elina, no município de Jangada. Desde 1984, o lugar está sendo escavado por pesquisadores da Universidade de São Paulo em parceria com o Museu de História Natural de Paris. Ali, já foi encontrada a ossada de um bicho-preguiça gigante, cuja extinção ocorreu há 10 mil anos. No local, a equipe de escavadores também encontrou mais de 25 mil artefatos. De acordo com os arqueólogos que acompanharam a expedição, Caroline Bachelet e Levy Figuti, o Mato Grosso tem cerca de 792 sítios arqueológicos cadastrados, que variam desde os feitos com pedras a registros rupestres.

Levy Figuti, por sua vez, esteve envolvido nas primeiras operações da USP no local, e ressalta os avanços do município de Jangada nos últimos trinta anos. “Não havia luz elétrica nas fazendas próximas ao Sítio de Santa Elina nos anos 80. É muito bom ver como o lugar está entrando no século XXI”, diz o pesquisador. Tiramos as perneiras e voltamos à Nissan Frontier para outra etapa da expedição: a Cachoeira do Pingador, uma queda d’água de doze metros de altura, considerada uma das mais bonitas da Chapada. A estrada de terra não chegava a ser um desafio para a Frontier, mas pude ter a primeira demonstração concreta do modo 4x4.

A Nissan Frontier conta com uma nova estrutura ainda mais resistente. O chassi foi reforçado com oito barras transversais, contando com um outro chassi sobreposto por dentro com soldas contínuas, apelidado de duplo "C". Assim, a picape fica ainda mais resistente às tensões da torção da carroceria. É importante ressaltar como a estrutura completa ficou mais maleável quando colocada na terra. Os ângulos de ataque e saída da Nissan Frontier também favorecem o desempenho off-road.

LEIA MAIS: Honda HR-V renovado aparece em imagens oficiais antes da estreia

O segundo dia de expedição seria mais curto, entretanto, sinuoso, passando por largas estradas de terra que cortam fazendas nos arredores da Chapada. O visual dos campos de soja, com as colheitadeiras tão próximas às picapes, parece ter saído de um comercial voltado ao trabalhador do campo. E foi ali, em um atalho interno que cruzava uma das grandes fazendas, que experimentei o controle automático de descida. No modo 4x4, basta apertar um botão localizado na parte inferior do painel, e a Nissan Frontier irá administrar a descida ainda mais segura na terra. Em uma subida, também não há qualquer problema. O sistema hill holder segura a caminhonete por três segundos enquanto o condutor tira o pé do freio e aciona o acelerador.

Na medida certa para aventureiros

Nissan Frontier SE
Cauê Lira/iG Carros
Nissan Frontier SE

Para deixar a Frontier mais barata na versão SE, alguns equipamentos foram cortados. Entre os quais, destacamos a central multimídia - que se transforma em um rádio com conexão Bluetooth e auxiliar, ar-condicionado dual zone, revestimento dos bancos de couro e comandos de regulagens elétricas para o motorista, faróis automáticos e os assistentes de estacionamento. Ela também não trava as portas automaticamente com o veículo em movimento.

Ao menos, sistema de partida por botão, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, volante multifuncional, ar-condicionado com saída para os bancos traseiros continuam fazendo parte do pacote de série da nova versão SE. A picape também continua com o competente motor 2.3, turbodiesel, de 190 cv e 45,8 kgfm, aliado ao câmbio automático de sete marchas. Nós também gravamos alguns vídeos de bordo, mostrando a visão de quem encara as trilhas de dentro da cabine.

Enquanto seguia a estrada de terra que cortava outra fazenda, descubro através de um dos guias que o Mato Grosso é o estado com a maior criação de gado do País, mantendo 13,6% do total nacional. É um verdadeiro baile em Goiás e no Mato Grosso do Sul, onde surpreendentemente há uma rivalidade. “Este aqui é o verdadeiro Mato Grosso”, brinca o local. O Estado também se destaca no trajeto turístico. Além da Chapada dos Guimarães, que atrai turistas de todos os lugares do Brasil, um terço do Pantanal também marca presença no Mato Grosso. Se você curte esportes radicais, este também pode ser um ótimo lugar para passar as férias. O município de Jaciara, nas proximidades da Chapada, é um prato cheio pra quem curte cachoeirismo, rapel e highline.

LEIA MAIS: Kicks que faz 34 km/l está nos planos da Nissan 

Vale destacar a diversidade de terrenos que tivemos que desbravar para concluir os 900 km de expedição. Asfalto esburacado em trechos de alto trânsito de caminhões, terra batida, terreno arenoso e escorregadio e lama. Nenhum deles foi problema para a Nissan Frontier SE (R$ 150.990). Essa versão é R$ 15.710 mais barata que a topo de linha, que sai das concessionárias por R$ 166.700.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.