Great Wall Motors Poer foi confirmada oficialmente no Brasil, onde terá rivais como a Toyota Hilux e a Chevrolet S10
Divulgação
Great Wall Motors Poer foi confirmada oficialmente no Brasil, onde terá rivais como a Toyota Hilux e a Chevrolet S10

A fabricante chinesa Great Wall Motors inicia suas operações no Brasil com a confirmação de que lançará a picape média Poer , futura rival de Toyota Hilux, Chevrolet S10 e Nissan Frontier. O anúncio foi feito no perfil oficial da marca no Instagram, sem maiores detalhes sobre versões e datas.

A picape média Poer tem duas opções de motorização no mercado chinês: 2.0 turbo a gasolina, que desenvolve 190 cv de potência e 36 kgfm de torque; e 2.0 turbodiesel, que desenvolve 163 cv e 40,8 kgfm de torque.

O modelo a gasolina conta com versões 4x2 e 4x4, enquanto o modelo diesel tem apenas tração 4x4. A transmissão inclui câmbio automático, de oito marchas, em todos os pacotes.

A Great Wall Poer é um pouco maior que a Chevrolet S10 . São 5,41 metros de comprimento (contra 5,36 m da picape da GM), 1,93 m de largura (1,87 m), 1,88 m de altura (1,78 m) e 3,23 m de entre-eixos (3,09 m).

Você viu?

O modelo chinês tem um pacote de equipamentos bem completo, com controle de cruzeiro adaptativo, assistente de permanência em faixa, central multimídia de 9 polegadas e cluster 100% digital de sete polegadas. 

Great Wall Motors

Conhecida globalmente pela abreviação GWM , a Great Wall foi fundada em Baoding (China) em 1984. Na última década, tornou-se a maior fabricante privada do país, chamando atenção do Grupo BMW, que fechou uma joint-venture para a produção de veículos elétricos.

Na América Latina, a Great Wall Motors já está presente na Argentina, Bolívia e Chile. Em março de 2020, anunciou a contratação do executivo Anderson Suzuki, ex-Toyota do Brasil, como diretor de planejamento para a região.

Segundo o jornal O Globo, a Great Wall Motors está perto de anunciar a compra da antiga fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP). Mas o plano da fabricante chinesa é iniciar suas operações apenas como importadora, deixando a produção nacional para meados de 2022 ou 2023. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários