Tamanho do texto

Japonesas carregam ares da moto velocidade. Enquanto a Ninja (R$ 93.990) foca no desempenho, a Café (R$ 49.990) remonta a história

Kawasaki Ninja ZX-10R SE: Das pistas às ruas,  com tecnologias que auxiliam o piloto numa tocada mais esportiva
Divulgação
Kawasaki Ninja ZX-10R SE: Das pistas às ruas, com tecnologias que auxiliam o piloto numa tocada mais esportiva

Duas novidades chegarão ao mercado de motos até o final de agosto. Uma delas é a Kawasaki Ninja ZX-10R SE (R$ 93.990,00) - esportiva puro-sangue - e a outra é a Z900RS Café (R$ 49.990), que resgata áureos tempos da motovelocidade com a Z1, de 1972. Enquanto a primeira é pensada para entregar o máximo de desempenho, a segunda é para unir a tocada vintage com equipamentos modernos.

LEIA MAIS: Kawasaki Ninja 1000, para uma boa e veloz viagem

A Kawasaki Ninja ZX-10R SE traz suspensões eletrônicas com três opções de atuação para a dianteira e a traseira (Road, Track e Manual), bem como controle eletrônico de suspensão, com sensores que atuam para dosar o sistema conforme a necessidade.

Além disso, das rodas em alumínio forjado, escape de titânio e de novos grafismos, traz motor de 998 cc que produz até 210 cv e 11,6 kgfm. Para parar a sua velocidade máxima de mais de 300 km/h? Freios Brembo de 4 pinças e discos duplos na dianteira, com outro na traseira, de 220 mm e pistão de alumínio.

LEIA MAIS: Kawasaki Z800 vai bem em qualquer situação: pista, cidade ou na estrada

Tal como a Kawasaki Ninja, a Z900RS Café toma como base a moto velocidade, mas remonta os anos 70
Divulgação
Tal como a Kawasaki Ninja, a Z900RS Café toma como base a moto velocidade, mas remonta os anos 70

Já a Kawasaki Z900RS Café tem uma pegada mais conceitual, que remonta a tempos antigos do motociclismo. E equipada com um motor de quatro cilindros, de 948 cc, e 109 cv. Apesar do estilo retrô, a montadora adotou tecnologias modernas no novo modelo, como o controle de tração com dois modos de pilotagem e a opção de desligar o sistema.

Entre eles, um que permite certo grau de deslizamento do pneu traseiro e favorece alto desempenho, e outro que, quando há deslizamento excessivo da roda traseira, a programação eletrônica reduz a entrega de potência a partir do ajuste do tempo de ignição, da quantidade de combustível injetado e do fluxo de ar de admissão.

LEIA MAIS: Kawasaki Z900, o purismo das naked com visual felino

Além disso, o painel da Z900RS Café inclui uma tela de cristal líquido com indicador de marcha, dois hodômetros parciais, relógio, medidor de combustível e informações como autonomia restante, consumo instantâneo ou médio, temperatura do líquido de arrefecimento e temperatura externa.

Kawasaki Ninja H2 SX SE: outro lançamento poderoso

Kawasaki Ninja H2 SX SE: A versão mais confortável, voltada para as estradas, da moto mais veloz do mundo
Divulgação
Kawasaki Ninja H2 SX SE: A versão mais confortável, voltada para as estradas, da moto mais veloz do mundo

Voltada às estradas e a mais conforto, a esportiva Kawasaki Ninja H2 SX SE é uma entre as versões da moto mais veloz do mundo, a H2R, que passa dos 400 km/h. O modelo traz o mesmo motor de 4 cilindros e 1000cc, com sistema de sobrealimentação. Entretanto, após o desenvolvimento de um novo compressor mecânico especificamente para a nova versão, aliado a diversas mudanças em admissão, comando de válvulas, câmara de combustão e escapamento, agora entrega desempenho progressivamente desde baixas rotações, segundo a fabricante.

LEIA MAIS: Kawasaki Versys 650 Tourer, mais aventura por menos

Além disso, a moto Kawasaki Ninja H2 SX SE conta com a caixa de câmbio do tipo dog-ring, encontrada nos mundiais de MotoGP e Fórmula 1, que facilita a troca rápida de marchas. Junto a isso, as relações das marchas foram acertadas ao novo conjunto.

Além de oferecer maior rigidez e distância entre-eixos, com o objetivo de garantir estabilidade na condução rodoviária com malas laterais, tanto a dianteira quanto a traseira são totalmente ajustáveis, permitindo que o piloto adeque o funcionamento ao estilo de condução, condições da via e presença de garupa e/ou bagagem.

Isso sem falar dos três modos de condução da Kawasaki Ninja H2, controles de largada, tração e estabilidade - com ABS que monitora seis parâmetros de inclinação para determinar a posição exata da moto e necessidade precisa de atuação de cada assistente - entre outros sistemas, como controle de Freio Motor, que permite que o piloto selecione a quantidade desejada; três limitadores de potência, permitindo que o piloto selecione a entrega de potência de acordo com suas preferências e condições de pilotagem e o piloto automático, que permite que a velocidade desejada seja mantida, na seleção por botões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.