Tamanho do texto

Sedã médio de 230 cv foi feito para brigar com rivais americanos, como Malibu RS, Charger SXT e Camry XSE, que não são vendidos aqui

VW Jetta GLI cinza
Carlos Guimarães/iG
VW Jetta GLI: faróis de LED, grade dianteira exclusiva, entradas de ar mais largas e rodas de aro 18 entre os equipamentos

Assim como o Golf GTI é o único hatch médio esportivo no Brasil, o Jetta GLI também não tem concorrentes diretos por aqui. Bem que tentamos ir atrás de algum rival para comparar com o sedã da VW, mas, pelos R$ 150 mil que custa o carro com o teto solar panorâmico, uma das alternativas mais interessantes seria um SUV, o Chevrolet Equinox LT (R$ 149.890), mas a GM não tinha o carro disponível para o embate.

LEIA MAIS: Chevrolet Equinox Premier:  SUV supersônico

Nos EUA, o Jetta GLI briga com Chevrolet Malibu RS, Dodge Charger SXT, Toyota Camry XSE e companhia, carros que não são vendidos oficialmente no Brasil. Sem eles, o GLI reina absoluto (o Civic Si é vendido aqui apenas como cupê e com câmbio manual) com motor 2.0, turbo, de 230 cv e caixa de dupla embreagem.

Quem não aguenta mais SUVs tem no VW Jetta GLI uma opção de um carro espaçoso e com bom desempenho, embora quando o assunto é esportividade ainda fique um pouco atrás do Golf GTI nesse quesito. Pois é, o sedã anda bem, mas sem o tempero mais apimentado do hatch médio, capaz de emitr um ronco borbulhante entre as trocas de marcha, entre outros detalhes mais voltados para a esportividade. 

Entre os sedãs médios que custam até R$ 150 mil você não vai encontrar nada que tenha o mesmo nível de equipamentos e o desempenho empolgante do VW Jetta GLI. Com boa dose de força desde as primeiras marcações do contagiros (são nada desprezíveis 35,7 kgfm a meros 1.500 rpm), o carro responde com rapidez aos comandos do acelerador.

 VW Jetta GLI, o intrépido

Interior do VW Jetta GLI
Divulgação
VW Jetta GLI vem com o mesmo volante multifuncional de três raios do Golf GTI e multimídia com tela de 8 polegadas

Acelere e o sedã GLI mostra sua fome por asfalto acelerando de 0 a 100 km/h em apenas 6,8 segundos e conta com controles eletrônicos de estabilidade e tração para evitar desperdícios de potência despejada pelas rodas dianteiras. A unidade avaliada estava calçada com pneus Hankook 225/45R 18 e transmitiu segurança em qualquer situação.

 LEIA MAIS: VW Golf GTI 2019:  a lenda do único esportivo do segmento no Brasil

Claro que  por causa do ajuste da suspensão um pouco mais voltado à estabilidade nas curvas e os pneus de perfil baixo, ao passar por trechos de piso irregular, o conforto fica um pouco prejudicado, mas nada que incomode demais. Em contrapartida, o baixo nível de ruído e a solidez da estrutura merecem elogios, assim como o acerto da direção com assistência elétrica e volante multifuncional de três raios, revestido de couro, o mesmo do GTI.

Ainda dá para citar a eficiência dos freios a disco nas quatro rodas, com equalização correta ao pisar no pedal de alumínio. A dupla saída de escape na traseira bem como os faróis de LED e a grade dianteira exclusiva, do tipo "colmeia" com filete vermelho são detalhes que deixam claro a vocação esportiva do sedã. 

Logo do VW Jetta GLI cinza
Carlos Guimarães/iG
VW Jetta GLi vem com defletores no para-choque traseiro e duas saídas de escapamento

No interior, além dos bancos revestidos de couro com apoios laterais mais largos e detalhes vermelhos por toda parte, entre os destaques estão vários equipamentos de série.  A lista é enorme, mas a central multimídia com tela de 8 polegadas com GPS embutido, câmera de ré, entre outros recursos é um deles. Outro é som de alta-fidelidade Beats, com 300 watts de potência. E o controle de velocidade de cruzeiro é adaptativo, mantendo uma distância constante do carro da frente.

Incluíram até controle de largada, que permite frear e acelerar ao mesmo tempo antes de disparar num aceleração mais otimizada possível, com ajuda do câmbio de dupla embreagem banhado a óleo (DQ250).  A aura esportiva do GLI também inclui iluminação ambiente personalizável e soleiras nas portas com filete vermelho em destaque. Faltou apenas a saída de ar para os bancos traseiros, que continua não disponível em nenhuma versão do Jetta.

Dirigindo no modo Eco e pisando de leve no acelerador, até que o Jetta GLI não é dos que mais gastam. Movido apenas a gasolina, o sedã é capaz de fazer 9,9 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada, conforme os dados do Inmetro. Com isso, considerando o tanque de 50 litros, a autonomia teórica de 625 km em trechos rodoviários.  Bom também é o espaço interno generoso, assim como o porta-malas carvenoso, de 510 litros.

Conclusão

Os fãs do Jetta 2.0 TSI da geração anterior não deverão se decepcionar com o  novo GLI. O carro tem conjunto bem acertado, bom desempenho e vem com uma lista bem recheada de equipamentos por R$ 6.540 a menos que o Golf GTI básico.

Ficha técnica - VW Jetta GLI

Preço:  a partir de R$ 144.990 (R$ 150 mil unidade avaliada)
Motor: 2.0, quatro cilindros, turbo, gasolina
Potência: 230 cv a 4.700 rpm 
Torque: 35,7 kgfm a 1.500 rpm 
Transmissão: automatizado, dupla embreagem, seis marchas, tração dianteira 
Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / multilink (traseira) 
Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros) 
Pneus: 225/45 R18 
Dimensões: 4,70 m (comprimento) / 1,80 m (largura) / 1,47 m (altura), 2,69 m (entre-eixos) 
Tanque: 50 litros 
Porta-malas: 510 litros 
Consumo gasolina: 9,9 km/l (cidade) / 12,5 km/l (estrada) 
0 a 100 km/h: 6,8 segundos 
Velocidade máxima: 250 km/h