Carregador da Shell é inaugurado na Av. Professor Celestino Bourroul, 34, na Zona Norte da capita paulista
Guilherme Menezes/ iG Carros
Carregador da Shell é inaugurado na Av. Professor Celestino Bourroul, 34, na Zona Norte da capita paulista

A Raízen, licenciada da marca de postos de combustível Shell, inicia seu ‘Programa de Eletromobilidade’. A empresa estreou o primeiro eletroposto (posto com estação de recarga para veículos elétricos), na Zona Norte de São Paulo.

O lançamento faz parte do planejamento para a implantação de uma ampla rede com 35 eletropostos de recarga rápida que utilizam energia renovável até o final do ano. Se não, até março de 2023.

Com carregadores de 50kW e 150kW, as estações Shell Recharge podem abastecer veículos elétricos em até 35 minutos. Conforme apuramos com o diretor de soluções de energia renováveis, Rafael Rabello, os carregadores serão 10% mais rápidos do que o Wall Box. E podem carregar modelos de plugues dos padrões CSS1, CSS2 e CHAdeMo.

O executivo citou alguns dos locais onde esses próximos carregadores serão instalados.  Serão alguns pontos no ABC (um deles, próximo à fábrica da VW, na Rodovia Anchieta, em São Bernando do Campo, SP). Haverá também pontos em outras rodovias, como na Ayrton Senna, na Dutra, Régis Bittencourt, entre outras.

Mas haverá um custo para quem for carregar o carro elétrico em um dos carregadores rápidos da Shell. O preço vai variar de R$ 1,60 até R$ 1,90 o valor do kwh, ou R$ 50 por uma carga completa, ainda segundo Rabello. Esses valores podem ser pagos por aplicativo, ou na tela do próprio carregador, utilizando cartão de crédito ou débito.

Com tendência de se repetir no Brasil, há, em Londres, eletropostos da Shell com espaço de conveniência
Divulgação/Shell
Com tendência de se repetir no Brasil, há, em Londres, eletropostos da Shell com espaço de conveniência

Outro fato curioso é o custo para a implementação de um carregador em postos de combustível . É necessário R$ 1 milhão de investimento por carregador (o que é uma quantia bem maior do que os cerca de R$ 15 mil dos modelos utilizados em shoppings e estacionamentos, por exemplo). A explicação para isso é que, por se tratarem de carregadores rápidos (os demais não são), todos os equipamentos envolvidos são muito mais caros.

A Raízen destaca que já fornece energia limpa para mais de 500 postos Shell por meio de geração distribuída, oferecendo uma solução para redução das emissões de gases de efeito estufa e diminuição de até 20% dos custos de energia, o que representa uma economia de cerca de R$ 3 milhões ao ano para os revendedores.

Algo que, na prática, faz toda a diferença, é a questão do monitoramento dos postos de recarga . Muitos dos que anteriormente foram instalados, já se encontram fora de funcionamento, ou em condições inadequadas para uso. O fato dos carregadores estarem instalados em postos de combustíveis, permite com que um eventual reparo ocorra de forma mais imediata.

Os clientes que recarregarem seus veículos elétricos nas estações podem fazer o pagamento por  meio do cadastro de um cartão de crédito no app Tupinambá , que já está disponível para download na Apple Store e Play Store. Assim, o cliente pode consultar se o carregador já está em uso, além da possibilidade de agendar uma recarga para o carro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários