Um erro pode ser fatal em qualquer uma destas estradas extremamente traiçoeiras. Conheça as 10 estradas que são um teste de destreza e coragem

Temos estradas bem perigosas no Brasil, com asfalto ruim, que atravessam zonas com risco de deslizamento ou mal sinalizadas. Ainda assim, existem rodovias ainda mais perigosas ao redor do mundo, onde um pequeno erro pode causar um grande acidente fatal, seja pela condição da pista, pela localização ou as condições climáticas da região. Confira quais são as 10 estradas consideradas mais perigosas do mundo:

LEIA MAIS: As 10 multas de trânsito mais absurdas do mundo

Camino a los Yungas – Bolívia

A Camino de los Yungas, na Bolívia, é a campeã das estradas perigosas, tão mortífera que ganhou o apelido de
Divulgação
A Camino de los Yungas, na Bolívia, é a campeã das estradas perigosas, tão mortífera que ganhou o apelido de "Estrada da Morte", por seus perigos e alto índice de mortalidade.

Para muitos, de todas as estradas mais perigosas do mundo, os 64 quilômetros da Camino a los Yungas é a pior, ligando a cidade de La Cumbre até a região dos Yungas. Ela serpenteia uma montanha a 4.700 metros de altitude e, até 2007, levava a vida de quase 300 motoristas por ano. Apenas os primeiros 20 km são asfaltados, o resto é pista de terra e cascalho que pode chegar a ter apenas 3 metros de largura. A chamada “Estrada da Morte” ficou bem menos perigosa com a inauguração de outra rodovia, diminuindo muito a quantidade de veículos que passam ali.

Zoji La – Índia

Apertada, sob constante risco de nevasca e deslizamentos de terra e, ainda tem que disputar espaço com as vacas. Essa é a Zoji La, uma das piores estradas da Índia.
Divulgação
Apertada, sob constante risco de nevasca e deslizamentos de terra e, ainda tem que disputar espaço com as vacas. Essa é a Zoji La, uma das piores estradas da Índia.

A passagem de Zoji na Índia é bem curta, com apenas 9 km de comprimento. Ainda assim, é muito importante, por interligar a região de Ladakh com a Caxemira. Por atravessar parte da cordilheira do Himalaia, muitas vezes é fechada pela neve, que pode chegar a até 24 metros de altura. Mesmo sem a neve, há outros perigos, como o vento forte, deslizamentos de terra e o fato de ter apenas uma pista – alguns loucos tentam passar lado a lado, o que causa mais acidentes.

Kabul-Jalalabad – Afeganistão

Tem algo de muito errado quando o maior perigo de uma estrada em zona de conflito são os motoristas excessivamente agressivos.
Divulgação
Tem algo de muito errado quando o maior perigo de uma estrada em zona de conflito são os motoristas excessivamente agressivos.

É fácil explicar porque os 160 km da estrada que liga Kabul com Jalalabad no Afeganistão aparecem nessa lista: Talebã. O “Vale da Morte” é constantemente atacado por fanáticos, que atiram contra os veículos, usam bombas para explodir carros ou sequestram motoristas. Não ajuda nem um pouco o fato da rodovia ser extremamente sinuosa e em alta altitude, com trechos que ficam a até 600 metros de altura. E, mesmo com tantos perigos, o pior da estrada são os motoristas afegãos que tentam ultrapassar em alta velocidade até mesmo nas curvas.

Sichuan-Tibet – China

Basta uma chuva para transformar os 2.142 km da estrada em lama. Presos no trânsito por dias, os motoristas começam a perder a cabeça e brigas acontecem com frequência.
Divulgação
Basta uma chuva para transformar os 2.142 km da estrada em lama. Presos no trânsito por dias, os motoristas começam a perder a cabeça e brigas acontecem com frequência.

Uma das estradas que liga a China com o Tibet, a Sichuan-Tibet tem várias maneiras de brigar contra os motoristas. Com o solo bem acidentado, basta uma pequena chuva para que a rodovia de 2.142 km torne-se bem traiçoeira, ficando ainda pior em caso de neve. Molhada, torna-se pura lama, criando congestionamentos que podem durar semanas e se estendem por quilômetros. Presos em uma situação de pouco oxigênio, é normal que motoristas percam a cabeça, brigando e até mesmo roubando outras pessoas na mesma situação.

Canning Stock Route – Austrália

São 1.850 km de deserto e o único sinal de civilização no caminho são as tribos aborígenes - se tiver sorte, elas podem até te vender um pouco de combustível.
Divulgação
São 1.850 km de deserto e o único sinal de civilização no caminho são as tribos aborígenes - se tiver sorte, elas podem até te vender um pouco de combustível.

A Canning Stock Route é uma trilha de 1.850 km na Austrália que atravessa três desertos do país. Para piorar, não há nenhuma cidade no meio do caminho, apenas pequenas comunidades de aborígenes. Para encarar as três semanas necessárias para atravessar a via, só com um veículo 4x4 carregado com comida, água, peças reserva e galões de combustível para reabastecer. Se o carro quebrar no meio do caminho, ninguém estará por perto para ajudar e, se der sorte, talvez alguns aborígenes tenham gasolina para vender.

LEIA MAIS: Os supercarros que bateram pouco depois de serem comprados

Kolyma – Rússia

Conhecida como
Divulgação
Conhecida como "Estrada dos Ossos", por servir de sepultura para os presos que morreram na construção, a estrada de Kolyma vira lama nos dois meses de verão.

Tão macabra quanto perigosa, a Estrada de Kolyma tem o apelido de “Estrada dos Ossos”, por ter sido produzida por prisioneiros políticos da Era Stalin. Muitos deles morreram e foram enterrados ao longo da rodovia, aproveitando os buracos feitos na terra pergelissolo (sempre congelada). Quando neva, é extremamente perigosa  pela baixa visibilidade e a quantidade de neve que junta no solo, o que acontece por 10 meses do ano. Nos dois meses de verão, é pior ainda, pois as fortes chuvas transformam todos os 1.900 km em lama. Como é a única ligação com a cidade de Yakutsk, é normal que tenha mais de 100 km de congestionamento no verão.

Dalton Highway – Alaska

Atravessar uma estrada a uma temperatura de até -50 graus não é para qualquer um. Junte isso ao fato de só existirem três cidades no caminho e comunicação só por rádio.
Divulgação
Atravessar uma estrada a uma temperatura de até -50 graus não é para qualquer um. Junte isso ao fato de só existirem três cidades no caminho e comunicação só por rádio.

Construída como uma forma de levar suprimentos para os campos de óleo do Alaska, a Dalton Highway é composta por 666 km e, dependendo da época do ano, a temperatura pode chegar a até -57°C, isso sem contar o vento. Tem apenas três cidades no caminho que, somadas, tem uma população de 60 pessoas. A única forma de comunicação remota é o uso de rádio. E ainda fecham a estrada em algumas épocas do ano, quando ursos polares resolvem passear na região.

Passage du Gois – França

Imagine o terror de ver o mar engolindo essa estrada na França, tudo porque você entrou nela quando estava perto do horário limite para atravessar.
Divulgação
Imagine o terror de ver o mar engolindo essa estrada na França, tudo porque você entrou nela quando estava perto do horário limite para atravessar.

A Passage Du Gois é uma pequena via de 4,1 km que só pode ser atravessado duas vezes ao dia, por um período de até duas horas. Isso porque a estrada passa pelo mar entre a costa oeste da França e a ilha de Noirmoutier. Sem nenhum aviso, a maré engole a passagem e, consequentemente, qualquer motorista desatento. Isso acontece com tanta frequência que existem postes espalhados no caminho para as pessoas se abrigarem. 

Guoliang Tunnel Road – China

O túnel de Guoliang tem apenas 1,2 km. Mas são 1,2 km de passagem apertada sob uma montanha sem iluminação alguma.
Divulgação
O túnel de Guoliang tem apenas 1,2 km. Mas são 1,2 km de passagem apertada sob uma montanha sem iluminação alguma.

Pequena, a estrada do túnel Guoliang é subestimada por algumas pessoas, que rapidamente se arrependem de sua atitude. Foram necessários 5 anos para esculpir os 1,2 quilômetros desse túnel pela montanha, seguindo o caminho de menor resistência das pedras. Isso fez com que tivesse apenas quatro metros de largura e apresente curvas bem traiçoeiras. Durante o dia, é iluminada pelas enormes entradas laterais, antes usadas para jogar fora as pedras escavadas e que agora funcionam como janelas. Quando anoitece, torna-se um pesadelo.

LEIA MAIS: Os 10 recalls mais bizarros já feitos

Karakoram Highway – Paquistão

A antiga Rota da Seda é a estrada mais alta do mundo. Além da falta de oxigênio, ainda temos que enfrentar nevascas e deslizamentos de terra.
Divulgação
A antiga Rota da Seda é a estrada mais alta do mundo. Além da falta de oxigênio, ainda temos que enfrentar nevascas e deslizamentos de terra.

A versão moderna de um dos caminhos da Rota da Seda, a estrada que liga China com Paquistão chega a 4.828 metros de altura em seu pico, o que a torna a rodovia mais alta do mundo. Isso também significa muitos problemas, já que não tem barreiras, a altura dificulta a respiração e a montanha luta contra os motoristas, com deslizamentos de terra, avalanches e nevascas a qualquer momento. Por ser praticamente deserta, quem se aventura nessa estrada precisa estar preparado, com combustível extra e comida

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.