Com a chegada do Toyota Yaris, a fabricante japonesa passará dos 200 mil carros vendidos, mas esse número poderia ser bem maior

Toyota Yaris Hatch: Preços de R$ 59.590 a R$ 77.590 para brigar com o VW Polo, que já vende 5,5 mil unidades/mês
Divulgação
Toyota Yaris Hatch: Preços de R$ 59.590 a R$ 77.590 para brigar com o VW Polo, que já vende 5,5 mil unidades/mês

A Toyota é um mistério. De todas as marcas de automóveis, talvez seja a mais cautelosa. Talvez esse seja o segredo de seu sucesso, pois continua na liderança do ranking global com 2,811 milhões de carros vendidos até abril, ou seja, 504 mil carros a mais do que a Volkswagen. No Brasil não é diferente. O Toyota Yaris (com anos de atraso) para preencher a lacuna que existe em sua linha de produtos entre o Etios e o Corolla.

LEIA MAIS: Compass e as vendas diretas salvam a pátria

E fez um lançamento impecável, oferecendo várias opções do Toyota Yaris com motores 1.3 ou 1.5, câmbio manual ou CVT, na faixa de R$ 59.590 a R$ 77.590 nas versões hatch e de R$ 63.990 a R$ 79.990 nas configurações sedã. Mas as projeções de venda são muito cautelosas.

Yaris Sedã: Posicionado de R$ 63.990 a R$ 79.990, será o grande rival do VW Virtus, que vende 4 mil unidades/mês
Divulgação
Yaris Sedã: Posicionado de R$ 63.990 a R$ 79.990, será o grande rival do VW Virtus, que vende 4 mil unidades/mês

O Yaris não é barato, mas é competitivo. E isso basta, em se tratando de Toyota. Por isso, a projeção feita de vender apenas 16,7 mil Yaris em 2018 é decepcionante. Isso não dá nem 2,4 mil carros/mês. Vejamos os números. O Volkswagen Polo (rival do Yaris Hatchback) já vende 5,5 mil carros/mês e deverá fechar o ano com 67 mil emplacamentos. Já o VW Virtus (rival do Yaris Sedã) vende cerca de 4 mil carros/mês e tem uma projeção de 40 mil licenciamentos para este ano. Com os números do Yaris, pela primeira vez a Toyota romperá a barreira dos 200 mil carros vendidos no Brasil em um ano.

LEIA MAIS: 5 carros que eu não compraria de jeito nenhum

Até o final de maio, a Toyota vendeu 76,4 mil veículos leves (automóveis de passeio e comerciais). Sem o Yaris, terminaria a temporada com 183,3 mil carros. Por isso, a projeção de crescimento de apenas 5%, num ano em que o mercado deve crescer pelo menos 11%, e ainda com um lançamento novo, nos parece pouco. E aí está o xis da questão.

A verdade é que a operação da Toyota no Brasil está esmagada. As duas fábricas de automóveis já trabalham em regime de dois turnos. Mais do que a Honda, que tem uma fábrica prontinha sem operar, a Toyota precisa ampliar sua capacidade de produção, pois é uma marca na qual os brasileiros confiam muito. Segundo a fabricante, o terceiro turno na unidade de produção em Sorocaba (SP) começará em novembro.

Posição da Toyota no Brasil

Toyota SW4: O último SUV-raiz do nosso mercado vem perdendo vendas e caiu da 8ª para a 11ª posição no segmento
Divulgação
Toyota SW4: O último SUV-raiz do nosso mercado vem perdendo vendas e caiu da 8ª para a 11ª posição no segmento

Atualmente, a Toyota ocupa a sexta posição no Brasil, considerando todos os veículos leves. Com 76,4 mil licenciamentos até maio, ela é dona de 8,2% do mercado. Sua posição no segmento de automóveis de passeio é um pouco pior (sétimo lugar), pois, com 61,9 mil vendas e 7,8% de participação, ainda perde para a Renault. Com o Yaris nas ruas, deve ultrapassar a marca francesa. Já no segmento de comerciais leves, a Toyota sobe para a quarta posição, com 14,4 mil emplacamentos e 10,5% de participação.

LEIA MAIS: O que está por trás do divórcio entre Hyundai e Caoa

RAV4: Ganhou versão de entrada e as vendas melhoraram, mas muito pouco para quem briga pela liderança global
Divulgação
RAV4: Ganhou versão de entrada e as vendas melhoraram, mas muito pouco para quem briga pela liderança global

Curiosamente, aqui no Brasil, a Toyota mostra fragilidade num segmento importantíssimo, o de SUVs. Seus dois carros vendem muito mal. O SW4 (talvez o último SUV-raiz) emplacou apenas 4,9 mil unidades este ano e ocupa a 11ª posição. Para se ter uma ideia, no ano passado, com o mercado recessivo, o SW4 tinha vendido mais nessa época do ano. Estava em oitavo lugar com 5,1 mil, emplacamentos. A participação do SW4 no segmento caiu de 3,5% para 2,6%.

Além do Toyota Yaris , recentemente a montadora passou a oferecer uma versão mais acessível para o RAV4 e as vendas subiram bastante. Porém, ocupar apenas a 20ª posição no ranking com 1,7 mil carros vendidos é muito pouco para o RAV4, um carro que até março ocupava o posto de SUV mais vendido do mundo. Ele foi ultrapassado em abril pelo Volkswagen Tiguan. São 261,7 mil vendas do Tiguan contra 260,6 mil do RAV4.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.