Prestes a mudar, Chevrolet Tracker pode ser encontrado bem mais barato que o preço de tabela. Veja os descontos e saiba mais sobre o novo

Nono SUV mais vendido, o Chevrolet Tracker é vendido com bons descontos, que chegam até R$ 9.990.
Divulgação/General Motors
Nono SUV mais vendido, o Chevrolet Tracker é vendido com bons descontos, que chegam até R$ 9.990.

Uma das atrações da General Motors para o Salão do Automóvel , entre os dias 10 e 20 de novembro, será o Chevrolet Tracker renovado e com o novo motor 1.4 turbo. Como chega às lojas apenas em dezembro, é natural que o modelo atual comece a ser vendido com desconto, para limpar os estoques. A reportagem de iG Carros apurou com as concessionárias se ainda possuem o modelo a pronta entrega e por quanto está sendo vendido.

Em todas as lojas que ligamos, ouvimos : “Sim, temos o Chevrolet Tracker a pronta entrega”. Se o cliente quiser em uma cor diferente, eles podem para outra loja da mesma rede que tenha o modelo na tonalidade desejada, sem a necessidade de fazer encomendas. Na maioria dos casos, o SUV estava disponível na própria loja nas cores prata, branco e preto.

LEIA MAIS: Chevrolet terá Camaro, Cruze Sport6 e Tracker no Salão do Automóvel

Encontrar um bom desconto pode ser difícil, mas não impossível. A versão de entrada LT do Chevrolet Tracker tem preço de tabela de R$ 77.790. Algumas lojas pedem até um pouco mais pelo carro, chegando até R$ 80 mil, outras colocaram opcionais para tentar desencalhar. Mas, por outro lado, existem algumas unidades com descontos. O primeiro preço médio foi de R$ 70.490, praticado por várias revendas, uma diferença de R$ 7.300. E logo encontramos mais barato ainda, por R$ 68.890, um desconto de R$ 8.900. Duas concessionárias deram o melhor preço, de R$ 67.890, R$ 9.990 a menos.

Para a versão topo de linha LTZ , com preço sugerido de R$ 88.590, os descontos foram menos expressivos. Encontramos o SUV por R$ 82.890, uma diferença de R$ 5.700 e que foi o valor mais comum da pesquisa. Negociando com algumas, veio o preço de R$ 81.390, R$ 7.200 a menos que o valor de tabela. Com muita paciência, encontramos por R$ 79.990, o melhor desconto obtido por essa configuração e que dá uma diferença de R$ 8.600. Alguns dos modelos por R$ 80 mil vinham com teto solar, item opcional que custa R$ 5.160.

LEIA MAIS: Chevrolet Prisma vira um Cruze em minuatura, mas cobra por isso

De série, o Chevrolet Tracker vem com ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas, travas elétricas, ancoragem ISOFIX para cadeirinhas infantis, cinto de segurança de três pontos em todos os bancos, rack de teto, retrovisores elétricos, computador de bordo, rodas de alumínio 16”, volante com ajuste de altura e rádio com mp3. O motor é o 1.8 Ecotec 144 cv e 18,9 kgfm, com etanol, combinado ao câmbio automático de seis marchas.

A versão LTZ adiciona a central multimídia MyLink com câmera de ré e sensor de estacionamento traseiro, volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade, um computador de bordo mais completo, retrovisores elétricos com aquecimento, rodas de alumínio 18” e seis airbags (frontais, laterais e de cortina). A motorização é a mesma da versão LT.

Novo Tracker será turbo

Além do novo design, o Chevrolet Tracker passa a contar com o motor 1.4 turbo flex de 153 cv, o mesmo do Cruze.
Divulgação/General Motors
Além do novo design, o Chevrolet Tracker passa a contar com o motor 1.4 turbo flex de 153 cv, o mesmo do Cruze.

Confirmado para o Salão do Automóvel, o Chevrolet Tracker renovado será bem diferente do atual. Seu design estará mais alinhado com a nova identidade visual da marca, composto por uma grade menor que interliga os faróis e outra maior que vai até o para-choque. Os faróis trazem luzes diurnas em LED. O interior foi redesenhado e ganhou um novo painel de instrumentos, com velocímetro e conta-giros analógicos, aposentando o cluster vindo do Agile .

LEIA MAIS:  Chevrolet Onix Activ aventureiro chega a partir de R$ 57.190

A melhor notícia do Chevrolet Tracker é a oferta do motor 1.4 turbo flex de 153 cv e 24,5 kgfm de torque, com etanol, o mesmo utilizado pela nova geração do sedã Cruze . Será combinado ao câmbio automático de seis marchas. Ao contrário do esperado, o utilitário voltará a ser oferecido em versão única, deixando de lado o motor 1.8 flex de 144 cv do modelo atual, que poderia ser vendido como uma configuração de entrada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.