Tamanho do texto

Saiba como proceder ao encontrar algum alagamento pelo caminho nessa época de chuvas fortes nas grandes cidades do Brasil

Encarar alagamentos não é tão simples. Basta uma troca de marcha para fazer o carro parar e ficar lá boiando na água
Divulgação
Encarar alagamentos não é tão simples. Basta uma troca de marcha para fazer o carro parar e ficar lá boiando na água

Com o calor do verão aumentam as chances de temporais e os riscos de alagamentos . Nas grandes cidades, como em São Paulo, trechos alagados são sinônomo de congestionamentos e de problemas mecânicos se o motorista não tomar uma série de cuidados. Portanto, vale a pena dar uma olhada nas 10 dicas úteis que seguem abaixo, preparadas com ajuda da rede Caçula de Pneus.

LEIA MAIS:  Veja seis coisas que você precisa saber sobre troca de óleo

  1. Fique atento às notícias sobre pontos de alagamentos . O rádio no carro ou a televisão, antes de sair de casa, são grandes aliados. 
  2. Procure um lugar mais elevado, encoste o carro, desligue-o e não tente ligá-lo novamente até que a água baixe para seguir caminho ao se deparar com uma enchente. Com a rua coberta de água, o motorista fica impedido de ver se há buracos ou barreiras na pista, potencializando o risco de possíveis acidentes. 
  3. Observe a altura do nível de água do trecho alagado , a altura máxima segura e a distância não pode exceder o centro da roda;
  4. Se o motor do carro morrer durante a travessia jamais tente dar a partida. Mantenha-o desligado.
  5. Dirija o veículo em baixa velocidade, mantendo uma rotação maior e constante ao motor . Isso diminui a variação do nível da água e seu respingar junto ao motor, o que dificulta sua admissão indevida e a contaminação de componentes eletroeletrônicos. Assim você melhora a aderência e a dirigibilidade do veículo;
  6. Mantenha a calma , caso você perceba um aumento de esforço ao esterçar (direção hidráulica), variação na luminosidade das luzes do painel de instrumentos, alertas sonoros, luz da bateria acesa, aumento do esforço ao acionar os freios, não se desespere. Apenas reforce a cautela e mantenha o menor número possível de equipamentos ligados;
  7. Desligue o ar condicionado . Essa prática impede que alguns componentes joguem água na tomada de ar do motor, reduzindo o risco de calço hidráulico. 
  8. Após passar por um alagamento, dirija-se diretamente para uma oficina. Pode haver, entre outros danos, a contaminação do óleo da transmissão, do diferencial, além de riscos acentuados de falhas na embreagem, suspensão e freios.
  9. Verifique também o estado do óleo da transmissão, dos eixos diferenciais e do cânister, dispositivo que reduz a emissão de hidrocarbonetos dos tanques de combustível. Eles podem ter a vida útil reduzida e aumentar o risco de falhas na embreagem, suspensão e freios.
  10. É indicado também ao proprietário que faça uma limpeza do sistema de ventilação do veículo, que pode estar contaminado por fungos e bactérias

LEIA MAIS: Confira 10 dicas úteis sobre a manutenção do carro que você tem na garagem

O que é calço hidráulico?

Os motores de combustão geram energia mecânica pela explosão de uma mistura pressurizada de ar e combustível. Quando os pistões tentam comprimir o conteúdo das câmaras e acabam encontrando água que entrou pela admissão de ar, pode ocorrer um tranco que pode entortar as bielas e danificar o virabrequim, isso porque, ao contrário dos gases, os líquidos não podem ser comprimidos.

Essa água que entra no motor pode ter encontrado dois caminhos para chegar até lá. Um deles é o cano de escapamento, que pode sugar o líquido entre uma troca de marcha. Outro é a entrada do filtro de ar, que pode ficar em posição mais baixa em alguns modelos, facilitando que a água penetre no motor.

LEIA MAIS: Confira 5 reparos no carro que podem ajudar a economizar combustível


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.