Tamanho do texto

Novo compacto de entrada, Renault Kwid ocupará lugar do falecido Clio. Saiba mais sobre o Renault Kwid, o novo carro básico da marca francesa

O hotsite do Renault Kwid já permite o cadastro de clientes interessados. Irão divulgar os preços no dia 15 de maio.
Reprodução
O hotsite do Renault Kwid já permite o cadastro de clientes interessados. Irão divulgar os preços no dia 15 de maio.

Aguardado há mais de um ano, o Renault Kwid se aproxima do lançamento no Brasil. A fabricante francesa colocou um novo hotsite no ar e divulgou em suas redes sociais que a pré-venda do compacto terá início no dia 15 de maio, momento em que devem revelar alguns valores – no mínimo, o da versão mais completa. O lançamento está marcado para o dia 9 de junho, quando será apresentando à imprensa.

LEIA MAIS:  Renault Kwid começa a ser vendido no Brasil em meados do ano. Saiba mais

Criado para ser o modelo mais barato da empresa para países emergentes, o Renault Kwid é um projeto indiano que utiliza a nova plataforma modular CMF-A. Tem 2,42 metros de entre-eixos e 3,67 m de comprimento – como comparação, o extinto Clio II que era vendido por aqui tinha 2,47 m de entre-eixos e 3,81 de comprimento. Como quer conquistar o público com um apelido de “SUV de entrada”, tem uma altura em relação ao solo de nada despresíveis 18 centímetros (um Honda HR-V tem 17,7 cm).

A expectativa é que seja vendido com preços entre R$ 35 mil e R$ 45 mil, para não chegar perto demais do Sandero. Antes, tinham a ideia de vender o Kwid mais básico por menos de R$ 30 mil, mas o custo do projeto e a situação do mercado não permitiram que praticassem esses valores. Pelo registro do modelo no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, terá cinco versões: Urban, Life, Iconic, Zen e Intense.

Diferente no Brasil

Apesar do projeto indiano, o Kwid nacional será diferente. Segundo a marca, ele será 20% mais pesado, pelo uso de chapas de aços de alta resistência e reforços na estrutura monobloco. Também contará com airbags laterais e ancoragem ISOFIX para cadeirinhas infantis. As mudanças servirão para adequar o compacto às normas brasileiras e apagar a imagem ruim causada pelo test-drive feito na Índia pelo Global NCAP, quando tirou nota zero.

Outra mudança é a motorização. Na Ásia, o Renault Kwid conta com o pequeno 0.8 de três cilindros, de 54 cv e 7,3 kgfm de torque, e que faz até 25 km/l. A marca até cogitou trazer esse motor ao Brasil, porém descartou a ideia, já que o compacto ficou mais pesado. Assim, será vendido apenas com o 1.0 SCe de 82 cv com etanol, o mesmo que equipa Sandero e Logan. Deve ganhar também o câmbio automatizado Easy-R de cinco marchas, para fazer frente ao Fiat Mobi GSR e Volkswagen Up! I-Motion.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.