undefined
Divulgação
Hyundai i30

A Hyundai interrompe a importação do hatch médio i30, modelo que chegou a ser líder de vendas do segmento, há sete anos, antes da invasão dos utilitários esportivos no mercado. O modelo atual não é mais encontrado nas lojas da fabricante e, pelo o que apurou a reportagem de iG Carros, não há previsão de quando a nova geração do modelo chegará ao País,  lembrando que foi apresentada em setembro do ano passado.

LEIA MAIS: Hyundai testa no Brasil modelo menor que o HB20. Saiba mais detalhes

Com a forte queda nas vendas de hatches médios, segmento que atualmente representa apenas 1,28% das vendas no acumulado do ano, de acordo com os números da Fenabrave (Federação Nacional dos Fabricantes de Veículos), somada às vendas em queda de importados e do provável fim do chamado “Super IPI”, a partir de 2018, se o novo Hyundai i30 vier ao Brasil, isso não deverá acontecer antes do início do ano que vem.

A versão do i30 que deixou de ser importada vinha com motor 1.8, de 150 cv, movido apenas a gasolina com câmbio automático de seis marchas, o que dava desempenho apenas razoável ao carro, que também sofreu com a forte concorrência de Volkswagen Golf e Ford Focus, ambos com conjuntos mais bem acertados e mais de acordo com o perfil do comprador de um hatch médio hoje em dia.

Como é o novo i30

No lugar do 1.8, aspirado, o novo hatch médio da Hyundai vem com o 1.4, turbo, de 140 cv, com injeção direta de combustível. A transmissão pode ser a manual, de seis marchas, ou a automatizada de sete e dupla embreagem. Mexeram em toda a estrutura para equilibrar a capacidade do i30 de oferecer desempenho e conforto. Usa 53% de aço de alta-resistência, o dobro do que era usado na geração passada. Com isso, a rigidez aumentou 22%.

LEIA MAIS: Hyundai Creta mostra mais o lado esportivo que o utilitário. Confira avaliação

O desenho do novo i30 mudou pouco, mas aproveitaram para deixar o hatch crescer, agora medindo 4,34 metros de comprimento, 1,80 m de largura, 2,65 m de entre-eixos e 1,45 m de altura. Pesa 10 kg a mais do que o anterior, alcançando os 1.316 kg na versão menos equipada. O porta-malas mede 395 litros, ou 1.301 litros com os bancos rebatidos. 

Do lado de dentro há uma cabine que tenta ser mais minimalista. Os botões são pequenos, para dar o máximo de espaço possível sem apelar para colocar todas as opções na central multimídia. Falando nela, a tela sensível ao toque foi posicionada acima da saída de ar, para diminuir o quanto o motorista tem que mover os olhos para observá-la. No painel de instrumentos, há uma pequena tela no centro para o computador de bordo, cercado pelo conta-giros e velocímetro, ambos analógicos. 

LEIA MAIS:  Hyundai trabalha em picape média para o mercado global. Saiba detalhes

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários