Tamanho do texto

Item será obrigatório em carros nacionais em 2022. Entenda como o Brasil pode atrapalhar a implantação do equipamento no país vizinho

O controle eletrônico de estabilidade (ESP) pode evitar um a cada três acidentes, segundo estudos das fabricantes
Divulgação
O controle eletrônico de estabilidade (ESP) pode evitar um a cada três acidentes, segundo estudos das fabricantes

Com a enorme quantidade de carros exportados do Brasil para a Argentina, as fabricantes estão fazendo pedidos para o governo argentino adiar a obrigatoriedade do controle eletrônico de estabilidade (ESP). O equipamento será exigido de série em todos os veículos novos vendidos no país vizinho a partir de janeiro de 2018 e as marcas querem que isso seja adiado para 2022, dois anos depois que o Brasil adotar o item, previsto para janeiro de 2020.

LEIA MAIS: Como os carros ficaram mais seguros em 20 anos.  Saiba mais detalhes

Pedido há tempos pelas entidades de segurança viária, o controle eletrônico de estabilidade ( ESP ) está na mira do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que irá exigir o item no Brasil em duas etapas: em janeiro de 2020, para os veículos completamente novos, e em 2022, para todos os modelos. A Argentina trabalhava com um cronograma semelhante, mas com dois anos de diferença: 2018 para os inéditos e 2020 para qualquer carro.

O site Argentina AutoBlog conversou com fontes da Agencia Nacional de Seguridad Vial para perguntar sobre os rumores e recebeu uma confirmação não-oficial de que há “um pedido de prorrogação pelas fabricantes pertencentes a Adefa (a associação das montadoras na Argentina), ainda que não esteja nada decidido”. Fontes dentro da Adefa também confirmaram a existência desse pedido.

LEIA MAIS: Confira 10 dicas para pegar a estrada com segurança nas férias. Veja a lista

O motivo é simples: muitos carros vendidos na Argentina são importados do Brasil e o controle de estabilidade  só será obrigatório por aqui dois anos depois, o que iria gerar um problema logístico, exigindo alterações na produção para montar modelos especialmente para os hermanos . Alinhar a adoção do equipamento com o Brasil evitaria os custos extras para as fabricantes.

No resto do mundo

O ESP, também chamado de ESC e diversas outras siglas de acordo com a fabricante, já é obrigatório em boa parte do mundo. O equipamento é exigido em todos os veículos que pesam menos de 4.536 kg (10 mil libras) desde 2012. A União Europeia tornou o item obrigatório em 2014, após o período de dois anos para veículos novos, da mesma forma que será feita no Brasil.

LEIA MAIS:  Confira quais são os 5 modelos seminovos menos seguros em caso de acidente

Outros países, como Canadá e Austrália, exigem o controle de estabilidade há anos. O sistema é considerado como o mais importante para a segurança automotiva segundo diversos especialistas, muitos estudos apontando que um a cada três acidentes pode ser evitado pelo controle e que mortes em colisões cairiam em até 43%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.