Tamanho do texto

Subcompacto ganha nova central multimídia Uconnect. Confira as novidades do modelo que continua vindo do México, sem as mudanças do europeu

Fiat 500 continua vindo do México para o Brasil com o mesmo visual com que chegou, em 2012. Agora, teto solar é de série
Divulgação
Fiat 500 continua vindo do México para o Brasil com o mesmo visual com que chegou, em 2012. Agora, teto solar é de série

O pequeno Fiat 500 comemora 60 anos de história em 2017, e a marca italiana prepara uma edição especial para celebrar o aniversário do compacto. Na versão única Cult 1.4, o carrinho volta ao Brasil com um pacote recheado de equipamentos. Porém, sem câmbio automatizado, apenas manual, de cinco marchas. A chegada da versão Cult também marca o adeus ao modelo conversível Cabrio, e ao esportivo Abarth no Brasil.

LEIA MAIS: Fiat 500 completa 60 anos com série especial

Por dentro, a novidade fica por conta da central multimídia com tela de 5 polegadas, sensível ao toque, embutida no painel
Divulgação
Por dentro, a novidade fica por conta da central multimídia com tela de 5 polegadas, sensível ao toque, embutida no painel








Nada de design europeu. Por fora, o modelo continua igual ao carismático Fiat 500 vendido por aqui desde 2012. A grande novidade é a nova central multimídia UConnect, com tela sensível ao toque, de 5 polegadas, conexão Bluetooth e comando de voz. A Fiat também adicionou indicador de mudança de marcha, como já vimos no hatch compacto Argo. O comando auxilia na escolha das marchas para garantir que o motorista dirija de maneira mais econômica. Há também indicador de pressão dos pneus.

LEIA MAIS: Fiat 500 Abarth ganha nova versão para as pistas

Compare a traseira do Fiat 500 mexicano com a do europeu, que aparece na imagem logo abaixo, com estilo mais moderno
Divulgação
Compare a traseira do Fiat 500 mexicano com a do europeu, que aparece na imagem logo abaixo, com estilo mais moderno

A partir de agora, o Cinquecento está disponível apenas com teto solar elétrico Sky Wind. Por se tratar de um subcompacto, o teto solar ocupa quase a capota inteira. Há também controle de estabilidade, auxílio de partida em rampa, direção elétrica com dois níveis de assistência, faróis com regulagem elétrica de altura, volante multifuncional revestido em couro e rodas de liga leve de 15 polegadas. Em sua versão única, o Fiat 500 Cult 1.4 Evo Flex, manual, chega por R$ 61.396.

Despedida dolorosa

Fiat 500 europeu passou a ter lanternas traseiras redesenhadas e com apenas LEDs no lugar das lâmpadas convencionais
Divulgação
Fiat 500 europeu passou a ter lanternas traseiras redesenhadas e com apenas LEDs no lugar das lâmpadas convencionais

Como você deve ter reparado, a Fiat não aplicou as mudanças do 500 europeu na versão que é vendida no Brasil, vinda do México. E apesar das mudanças discretas em relação ao modelo anterior, o 500 europeu apresenta mais requinte e opções de customização. As alterações mais notáveis estão na traseira, onde o hatch recebeu novo conjunto óptico.

LEIA MAIS: Fiat 500 Cabrio: Bom de guiar com a cabeça fresca

A chegada do Fiat 500 Cult 1.4 Evo também representa o adeus para duas versões no mercado brasileiro. Uma delas é a esportiva 500 Abarth, com motor 1.4, turbo, de 167 cv e 23 kgfm, que fazia o foguetinho de bolso ir de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 s. Na época, o conjunto era muito superior quando comparado a Punto e Bravo T-Jet, que utilizavam a mesma mecânica. Seu torque não precisava do giro nas alturas para aparecer, diferente dos irmãos, e proporcionava muita diversão para quem realmente gosta de guiar.

Outro que modelo que dá adeus no Brasil é o Fiat 500 Cabrio, uma das poucas opções para quem curte conversíveis no País. Na teoria, o modelo não chegava a ser um cabriolet de essência, mas a capota escamoteável descia até o limite da tampa do porta-malas, dando uma grande impressão de liberdade. Pequenos e carismáticos, Abarth e Cabrio são dois hatches acertados que deixarão saudades por aqui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.