Tamanho do texto

Pablo Di Si é o novo CEO da marca no País. David Powels assume vice-presidência da Saic Volkswagen, na China

Pablo Di Si assume liderança da Volkswagen num momento de renovação da fabricante na região do Mercosul
Divulgação
Pablo Di Si assume liderança da Volkswagen num momento de renovação da fabricante na região do Mercosul

A semana começa marcada por uma dança das cadeiras dentro do Grupo Volkswagen. O argentino Pablo Di Si, ex-presidente e CEO da Volkswagen Argentina assume a presidência da marca no Brasil e América Latina. Já David Powels, que ocupava o cargo de CEO desde 2015, torna-se vice-presidente da Saic Volkswagen, em Xangai (China).

LEIA MAIS: Novo Polo Highline: como anda o hatch premium com motor 1.0 TSI

Pablo Di Si iniciou a carreira no Grupo Volkswagen em 2014. Antes, ocupava posições-chave na área de Finanças e Desenvolvimento de Negócios do Grupo Fiat-Chrysler nos Estados Unidos e no Brasil.

Líder da reestruturação da Volkswagen do Brasil pelos últimos dois anos e meio, David Powels assumirá a vice-presidência da joint-venture com a Saic na China. Trata-se do maior mercado do Grupo Volkswagen no mundo. A Saic Volkswagen entregou mais de 2 milhões de veículos em 2016, incluindo a marca tcheca Škoda.

Powels e o Novo Polo

David Powels ocupará posição estratégica na China depois de lançar a nova geração do VW Polo no Brasil
Divulgação
David Powels ocupará posição estratégica na China depois de lançar a nova geração do VW Polo no Brasil

Powels começou sua carreira na Volkswagen da África do Sul, em 1989, como responsável pela contabilidade de impostos na divisão de finanças. Em 1998, virou diretor do setor. Antes de assumir o posto de CEO da Volkswagen do Brasil, Powels teve uma passagem pela diretoria da divisão sul-africana da marca.

LEIA MAIS: Volkswagen Polo 1.6 MSI: um hatch bem equipado por menos de R$ 60 mil

O primeiro grande desafio de Powels foi estabelecer uma reação ante a perda de espaço do Volkswagen Gol em 2014. Por muito tempo, o compacto foi líder de seu segmento, mas vinha perdendo mercado há certo tempo para o Fiat Palio. Com a alta no preço do euro e do dólar, a Volkswagen também foi forçada a lançar uma versão mais em conta do Golf. O modelo com motor 1.4 TSI nunca emplacou nas vendas, e precisou de uma unidade com o mesmo 1.6 MSI que é utilizado no Novo Polo para ganhar novo fôlego. Destaque, também, para a nacionalização do Jetta.

Powels posa ao lado de colaboradores e do governador Geraldo Alckmin na linha de montagem da marca, em São Paulo
Divulgação
Powels posa ao lado de colaboradores e do governador Geraldo Alckmin na linha de montagem da marca, em São Paulo

A preparação para a chegada do Novo Polo foi o passo mais importante de Powels no comando da Volkswagen do Brasil. Ele servirá de base para outros três modelos: o sedã Virtus, uma picape intermediária e um atrasado SUV.

LEIA MAIS: Volkswagen Polo parte de R$ 49.990 no Brasil. Veja os preços

Trata-se da maior reestruturação da história da marca no Brasil. Os compactos Gol e Fox foram realocados em suas linhas para receber o novo irmão. Powels deixou a Volkswagen exatamente uma semana após a apresentação do Novo Polo, em um evento que também contava com a presença do novo presidente, Pablo Di Si.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.