Tamanho do texto

Tem luxo que chega a ser comparado ao dos Rolls-Royce, e usa até a mesma plataforma deles. Sua lista de equipamentos chega a sumir da vista

BMW 750Li: o topo de toda a linha da marca, voltado para quem quer luxo e se sentir mimado ao extremo
Divulgação
BMW 750Li: o topo de toda a linha da marca, voltado para quem quer luxo e se sentir mimado ao extremo

A BMW lança a linha 2018 do luxuoso 750Li, que sai a partir de R$ 774.950. É um “baita” preço, nos dois sentidos, uma vez que é sim uma grande quantia de dinheiro, mas por outro lado, pensando no tanto que o carro entrega, a ideia sobre ele muda completamente. Tanto que isso tem a ver com o fato de custar até três vezes menos que alguns Rolls-Royce e Bentley mas, ainda sim, os superou em avaliações de carro de luxo do ano em 2016 e 2017, realizadas por especialistas do segmento. Além disso, é motivo de polêmica entre os amantes de mansões sobre rodas, mas falaremos sobre esse assunto mais adiante. Por enquanto, veja o que o sedã de luxo tem a oferecer.

LEIA MAIS: BMW Série 5: Rápido tanto quanto um esportivo puro sangue e, ainda, anda (quase) sozinho

A sofisticação no BMW aparece antes mesmo de abrir a porta do carro, uma vez que sua chave vem equipada com um pequeno visor de LCD colorido, sensível ao toque. Por meio dela é possível travar e destravar as portas, acender e apagar as luzes internas, ligar ou desligar o ar condicionado, erguer ou recolher os vidros laterais, assim como acessar diversas informações sobre o veículo, como localização, autonomia, serviços e reparos. Entretanto, como os assentos traseiros dos carros de luxo é o espaço onde mais se aproveita o requinte, é por lá que começaremos (sim, começa só agora) a listagem.

Os assentos podem ser ajustados com comandos elétricos e possuem função de aquecimento, massagem e exercícios físicos. No lugar do assento do meio, há o console central com espaço para guardar objetos. Daí também sai uma pequena mesa. No meio de onde seria o encosto do meio, uma portinha pode ser aberta para acessar a geladeira. Além disso, encontra-se um tablet de sete polegadas no console, que permite controlar o sistema multimídia e outras funções, bem como rebater o banco dianteiro do passageiro até que seja possível esticar as pernas.

LEIA MAIS: BMW i3: como é a vida andando de elétrico em São Paulo

Cinema sobre rodas

Enquanto o motorista se preocupa com o trânsito, os passageiros sentados atrás podem ficar bem tranquilos. Há duas telas de 10 polegadas nas “costas” dos bancos dianteiros, que transmitem imagens de TV, DVD e Blu-Ray. Já o sistema de som, conta com 16 alto falantes e amplificador de 10 canais. A privacidade e comodidade de quem vai atrás é favorecida graças à presença de cortinas para as janelas, acionadas eletronicamente. Além disso, tem um teto solar com luzes de LED integradas, para simular um céu estrelado. Para isso, utiliza-se de 15 mil pontos gráficos, com seis cores diferentes.

LEIA MAIS: BMW Série 3 é o alemão competente que começa a mostrar sinais da idade

O motor V8 biturbo que equipa o sedã de luxo é o mesmo da esportiva puro-sangue M5, só que com acerto mais manso
Divulgação
O motor V8 biturbo que equipa o sedã de luxo é o mesmo da esportiva puro-sangue M5, só que com acerto mais manso

Se decidir dirigir um pouco, vai encontrar um carro muito bem preparado. Conta com um total de seis airbags e, apesar dos 5,238 metros de comprimento (é o maior carro da BMW), o Série 7 é equipado com um V8 4.4 biturbo de 450 cv e 66,2 kgfm, combinado ao câmbio automático de oito marchas. Com isso, garante o seu tempo de aceleração de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e a velocidade máxima atinja os 250 km/h, limitados eletronicamente pela fábrica. O motorista conta, também, com controle de tração e estabilidade, pneus run-flat (que podem rodar mesmo em caso de furos) e quatro câmeras, que fornecem uma visão de 360°. Seu painel de instrumentos digital usa uma tela de 12,3 polegadas para mostrar o velocímetro, conta-giros, informações de rota, chamadas telefônicas e entretenimento. Além disso, tem Heads-Up Display , que projeta dados no para-brisa do carro e, com isso, elimina a necessidade de olhar constantemente para o cluster.

Cansou de ficar totalmente no controle? Então pode contar com uma assistência de direção e de faixa de rodagem, que por meio de câmeras e sensores, reconhece pedestres e permitem a visualização em efeito 3D de todo o entorno do veículo, facilitando manobras e prevenindo colisões. Até a central multimídia vem para facilitar a vida, já que é possível controlar o sistema pelos comandos no console central, pelo toque na tela touchscreen ou por gestos, usando um sensor 3D que reconhece alguns gestos específicos para aumentar o som, atender uma chamada ou mexer no navegador por GPS.

O carro é pensado para um público tão específico que, quando a atual geração chegou ao Brasil em 2016, a BMW tinha uma expectativa de vender apenas 50 unidades naquele ano, o que foi considerado um plano bastante otimista, uma vez que a previsão era de que o mercado premium iria recuar entre 27 e 28%.

Polêmica

Há uma grande polêmica sobre o BMW 750Li, que também engloba outros modelos da Série 7. O fato da Rolls Royce utilizar sua plataforma para carros como o Phantom e o Ghost faz muitos pensarem que são o mesmo carro, mas com “rosto” e grife diferentes; enquanto isso, outros discordam. A realidade é que, tanto o 750Li quanto o Ghost (tomando ele como exemplo), contam com quantidade similar de equipamentos e apetrechos de luxo; entretanto, a Rolls Royce se preocupa ainda mais com a utilização de materiais extremamente sofisticados para fabricação de todo o carro, bem como uma gama ainda maior de opcionais.

Alguns exemplos? Se quiser uma estrutura de separação entre o habitáculo dianteiro e o traseiro, que poderá ser feito de madeira nobre com cristais, o opcional sai por aproximadamente R$ 220.000. Vai um mini bar no porta-malas, que acompanha duas taças exclusivas e tem espaço para duas garrafas de champagne? Ok: bota mais R$ 100.000 na conta. Então, quer porta-joias ou frigobar de porta? Some mais R$ 95.000. Só até aí, o valor dos opcionais já somam mais da metade do preço de uma BMW 750Li, entretanto, se quiser um Rolls Royce com tudo o que tem direito, espere por mais uns 11 opcionais desses a mais.

Segundo a fabricante, as cores disponíveis para o BMW somam um total de 22 opções. São elas: Branco Alpino e Preto 2 (sólidas); mais 10 de acabamento metálico: Preto Safira, Prata Kashmir, Prata Glacial, Azul Imperial, Cinza Sophisto, Branco Mineral, Jatoba, Cedro de Atlas, Cinza Magellan e Cinza Ártico; e mais nove opções de acabamento metálico da linha BMW Individual: Preto Rubi, Moonstone, Marrom Almadin, Vermelho Aventurine, Preto Azurite, Branco Brilhante, Pure Metal Silver, Frozen Dark Brown e Frozen Artic Grey. O interior inclui revestimentos de couro Nappa, de alto padrão, nas cores preto, bege Canberra, bege Zagora, Ivory, Cognac e Mocha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.