Tamanho do texto

Trata-se do Pagani Zonda F, criado por Horacio Pagani. Obra de arte ficará exposta na Argentina, em homenagem ao pai do projeto

Pagani Zonda F feito com 100 mil moedas douradas. Escultura é encomenda de colecionador excêntrico
Divulgação
Pagani Zonda F feito com 100 mil moedas douradas. Escultura é encomenda de colecionador excêntrico

Um dos superesportivos mais velozes feitos até hoje, o Pagani Zonda F, terá uma escultura exposta na Argentina para homenagear o criador do projeto, Horacio Pagani, informa o site Argentina Autoblog. A peça será feita pelo artista uruguaio Joaquín Arbiza, que também foi quem assinou a escultura do piloto italiano Valentino Rossi, que está nas Termas do Rio Hondo (Argentina). 

LEIA MAIS: Pagani revela supercarro conversível que vale o equivalente a US$ 2,4 milhões

Curioso é que a escultura do Pagani será feita com 100 mil moedas de 50 centavos argentinos, que são douradas. O trabalho vai incluir em torno de 500 mil pontos de solda Tig e estima-se que o peso total da peça ficará por volta de 1.230 kg, peso de um Pagani Zonda F de verdade.

A escultura é uma encomenda do excêntrico colecionador de carros argentino, Jorge Gómez, que acaba de inaugurar um museu em Nordelta (Argentina). A obra de arte será feita dentro das instalações da fábrica de artigos elétricos Roker, cujo dono é o próprio Gómez.

LEIA MAIS: Saiba quais são os 10 supercarros mais velozes do mundo

Será necessário cerca de seis meses de trabalho e a apresentação oficial da escultura está programada para março de 2019, quando o raro Pagani Zonda F, que teve apenas 150 unidades fabricadas, vai completar 20 anos do lançamento.

O successor do Zonda F 

Pagani Huayra BC vem com motor Mercedes AMG, V12, 6.0, de 764 cavalos de potência máxima
Divulgação
Pagani Huayra BC vem com motor Mercedes AMG, V12, 6.0, de 764 cavalos de potência máxima


Depois do Zonda, veio do supercarro Huayra, também feito com várias parte de fibra de carbono. No caso da versão Roadster, o bólido pesa 1.280 kg, o que já inclui reforços estruturais suficientes para conseguir contornar curvas em alta velocidade a ponto de atingir uma aceleração equivalente a 1,8 g.

Como honra a tradição, o motor é Mercedes AMG V12, com 6.0 litros de cilindrada e nada menos que 764 cv e brutais 102,8 kgfm de torque. Tanta força é transmitida às rodas com ajuda do sistema de tração traseira com câmbio de dupla embreagem e sete marchas. 

LEIA MAIS: Os 10 hipercarros mais insanos do mundo. Confira toda a lista

Bom também é que a suspensão é feita de alumínio forjado e sua fabricacão ajuda na distribuição do peso do Huayra. Também chamam atenção os discos de freios de fibra de cerâmica de 380 milímetros de diâmetro e pinças de seis pistões no eixo dianteiro e 4 no traseiro. O sucessor do Pagani Zonda tem preço aproximado de US$ 2,4 milhões.   

Fonte: Argentina Autoblog

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.