Tamanho do texto

EcoSport chegou a trocar motor 2.0, de 176 cv, pelo 1.5, tricilíndrico, de 137 cv, e ficou mais caro na versão 2020. Veja mais casos a seguir

Renovar a linha de um ano para o outro é fundamental para que as fabricantes mudem um detalhe ou outro em seus veículos e ainda tenham uma justificativa plausível para aumentar o preço. Na prática, muitas dessas mudanças são irrisórias, mas ainda acabam implicando em um bom acréscimo no preço.

Para enumerar alguns desses modelos, a reportagem do iG elenca os cinco carros que mudaram pouco na linha 2020 e mesmo assim ficaram mais caros. Confira a seguir alguns dos casos que mais chamaram atenção até agora. 

LEIA MAIS: Veja 5 carros seminovos que não teríamos

1 - Honda Civic Touring

Honda Civic 2020 arrow-options
Divulgação
Honda Civic Touring ganhou equipamentos que não justificam a elevação de 6% no preço

A versão 2019 do Honda Civic Touring foi lançada no Brasil por R$ 127.600 em meados do ano passado. Com a nova linha 2020, o preço salta para R$ 134.900, incluindo apenas sistema de som de 452 watts, carregador de celular por indução e ajuste de lombar no banco do motorista entre os carros caros . Uma elevação de 6% no valor do sedã médio.

O motor 1.5 turbo bebe apenas gasolina, e desenvolve 173 cv de potência a 5.500 rpm e 22,4 kgfm de torque a 1.700 rpm. O porta-malas tem 519 litros. Segundo colocado na categoria dos sedãs médios há mais de dez anos, sua linha 2020 tem o objetivo de manter a competitividade diante de um Corolla totalmente renovado e com versão híbrida flex. 

2 - Hyundai Creta Prestige

Hyundai Creta 2020 arrow-options
Divulgação
O Hyundai Creta Prestige, única versão com motor 2.0, ficou 4% mais caro na versão 2020

O SUV da marca coreana também figura entre os carros que ficaram mais caros e mudaram pouco. Antes precificada em R$ 104.900, a versão topo de linha Prestige passa a custar R$ 107.900. Maçanetas cromadas, bancos de couro sintético de microfibra, carregador sem fio por indução e retrovisor interno eletrocrômico são algumas das novidades da linha 2020 - que fica 4% mais cara.

A única versão a contar com motor 2.0 desenvolve 166 cv de potência a 6.200 rpm e 20,5 kgfm de torque a 4.700 rpm. O porta-malas tem 471 litros. Na primeira quinzena de agosto, o SUV coreano foi o modelo mais vendido e conseguiu abrir uma boa diferença contra os rivais Renegade, Kicks e HR-V.

3 - Chevrolet Montana

Chevrolet Montana arrow-options
Divulgação
A Chevrolet Montana não mudou na linha 2020, e mesmo assim ficou mais cara em relação ao modelo 2019

A Chevrolet aproveitou o mês de junho para lançar a linha 2020 de dois modelos: Cobalt e Montana. O sedã compacto ficou apenas 1% mais caro e ainda recebeu câmera de ré, sensores crepuscular, de estacionamento e de chuva, além de banco traseiro bipartido. A picape de R$ 65.990 não mudou, e mesmo assim ficou R$ 1.100 mais cara na versão Sport que custava R$ 63.990. Acréscimo de 2%.

LEIA MAIS: Veja 5 compactos brasileiros com preços de esportivos nos EUA

Mantendo a dianteira do antigo Agile, a Montana tem motor 1.4 de 99 cv de potência a 6.000 rpm e 13 kgfm de torque a 3.200 rpm. Sua caçamba tem capacidade para ótimos 1.152 litros. Com a ascensão de picapes intermediárias como Fiat Toro e Renault Oroch, os modelos compactos como Montana e Saveiro acabaram ficando debilitados.

4 - Ford EcoSport Titanium

Ford EcoSport arrow-options
Divulgação
O Ford EcoSport sofreu um "downgrade" quando foi renovado para a linha 2020

O EcoSport Titanium é um caso delicado. Além de ter ficado mais caro, o SUV sofreu um “downgrade” em relação ao modelo 2019: antes comercializado por R$ 96.990, o Titanium subiu para R$ 103.890, trocando o motor 2.0, de 176 cv, por uma unidade 1.5, de três cilindros, com 137 cv. Ou seja, ficou mais caro, porém entregando menos.

O valente 1.5 aspirado de três cilindros tem 16,2 kgfm de torque, com câmbio automático de seis marchas. Seu pequeno porta-malas tem apenas 356 litros de capacidade. Apesar de ter sido o primeiro SUV compacto de sucesso do mercado brasileiro, perdeu espaço para rivais mais modernos.

ATUALIZAÇÃO: A partir de setembro de 2019, o preço do EcoSport 1.5 Titanium teve abatimento, passando a custar R$ 92.990.

5 - Jeep Compass Série S

Jeep Compass arrow-options
Divulgação
A versão mais cara do Jeep Compass teve elevação de R$ 8 mil em seu preço nas concessionárias

Toda a linha Compass sofreu reajustes na versão 2020, que partem de R$ 3 mil e podem chegar a R$ 8 mil na versão mais cara, a Série S. O SUV que estava precificado em 187.990 até março passa a custar R$ 195.990 na versão 2020 - 5% de acréscimo, sem adicionar nada.

LEIA MAIS: Veja 5 carros seminovos que não compraríamos

A versão traz o competente 2.0 turbodiesel de 170 cv a 3.750 rpm e 35,7 kgfm de torque a 1.750 rpm, com câmbio automático de seis marchas. E o SUV ainda conta com porta-malas de 410 litros. O Compass é destaque absoluto de sua categoria, vendendo mais que Tiguan, Equinox, Eclipse Cross e 3008 juntos entre os carros caros .