Tamanho do texto

Mecânica, indícios de colisões e preparação não ajudam na venda do modelo usado. Saiba quais são os principais tópicos para ficar atento

Colocou o carro nos principais classificados online, adesivou que está à venda e mesmo assim ninguém entrou em contato? Alguns tópicos muito importantes podem transformar o seu veículo seminovo em algo mais ou menos atrativo para o mercado de segunda-mão. A reportagem do iG Carros elege os cinco principais fatores que podem afastar potenciais compradores do seu veículo. Acompanhe a seguir.

LEIA MAIS: Veja os 5 compactos mais baratos e fáceis de  consertar, conforme o CESVI 

1 - Mecânica difícil

Motor Jetta arrow-options
Divulgação
O motor 2.5 de cinco cilindros do antigo Jetta era potente, mas a manutenção é complicada

Começaremos a lista por um tópico bem óbvio, mas que é constantemente esquecido pelo dono do carro. Se o conjunto mecânico do veículo seminovo não for dos mais convencionais - como um 2.5 de cinco cilindros, por exemplo - o possível cliente poderá ficar intimidado com a possibilidade de gastar mais com peças importadas.

Independentemente da idade do carro, é válido guardar todas as notas e recibos de manutenção do veículo - principalmente se o modelo tiver algum problema crônico. Neste caso, ainda que o conjunto mecânico não seja dos mais comuns, o comprador terá confiança de investir no veículo. Tenha sempre uma pasta para guardar todas as notas de serviço para aumentar a confiabilidade do futuro dono. 

2 - Cores diferentes nas lanternas

Farol arrow-options
Divulgação
Os faróis dianteiros estão com cores diferentes? Há a possibilidade do veículo ter sido avariado

Todos estão fugindo do seu carro e você não sabe por que? Atente-se aos faróis e lanternas. Se a tonalidade entre eles estiver diferente, significa que o veículo já sofreu uma avaria severa que necessitou da substituição do equipamento.

O mesmo vale para a tonalidade da pintura . Se a cor do para-choque não condiz com para-lama e capô, por exemplo, sinaliza que o carro já foi batido. Uma passagem em um bom funileiro deve resolver o problema.

3 - Preparação

Preparação arrow-options
Divulgação
Apesar da potência, comprar um carro preparado é arriscado. Muitas pessoas torcem o nariz

Vender um carro preparado é difícil. Trata-se de um nicho muito específico, e mesmo assim, boa parte dos compradores não estão dispostos a “atirar no escuro”. O ideal é deixar o conjunto mecânico do veículo bem próximo do original de fábrica. Além de impedir a venda, preparação pode desvalorizar o carro.

Portanto, se seu carro tem alguns itens que não são originais que podem ser trocados pelos vindos de fábricas é melhor adotar essa estratégia para facilitar a venda. No caso de mudanças muito complicadas o mais provável é que a negociação seja feita apenas com conhecidos que se interessem por modelos modificados. 

LEIA MAIS: Gol e Corolla são os carros mais caros de se manter no Brasil, diz estudo

4 - Cor chamativa

New Fiesta arrow-options
Divulgação
O polêmico New Fiesta na cor verde-limão. É raro encontrar uma unidade nas ruas

Lembra do Fiesta Sedan na cor verde limão? Não é uma cor que se vê todo dia, e isso pode atrapalhar a venda. A polêmica das cores diferenciadas é muito discutida, e muitos acusam os próprios lojistas de propagarem este preconceito. Como este comportamento já está no “senso comum” do brasileiro, cores ousadas podem ser um entrave na hora da revenda.

No Brasil, infelizmente, as cores mais aceitas na hora da revenda são preto, prata e branco, apenas. Por incrível que pareça, se o carro foi de um tom um pouco mais diferente de azul, marrom ou amarelo, já fica mais complicado de encontrar um comprador com facilidade.

5 - Quilometragem que não condiz com o estado do carro

Corolla arrow-options
Divulgação
O interior do Toyota Corolla de nona geração ficou famoso pela qualidade do acabamento e facilidade de conservação

O carro tem baixa quilometragem , mas os bancos de couro já mostram suas marcas de uso, o pedal de freio está desgastado e acabamentos estão soltando? Talvez o estado de conservação esteja atrapalhando na hora da revenda. Alguns donos que cuidam mal de seus veículos  seminovos chegam a passar a impressão de que a quilometragem talvez tenha sido adulterada.

LEIA MAIS: Veja 5 carros que passam mais tempo na oficina do que na sua garagem

A melhor dica é cuidar bem do carro: hidrate os bancos, arrume rasgos e avarias nos acabamentos. A marca dos pneus também entra nessa lista. Se não forem originais de fábrica e já estiverem gastos também é outro indício que a quilimetragem não é original.