Tamanho do texto

Em entrevista, chefe executivo da fabricante britânica diz que modelo 100% elétrico ainda vai demorar; confira mais sobre o futuro da McLaren

McLaren 600 LT Spider arrow-options
Divulgação
McLaren 600 LT Spider

Mesmo entre os superesportivos que sempre queimaram muita gasolina, a eletrificação é inexorável. Foi o que Mike Flewitt, chefe executivo da McLaren, apontou em entrevista para o The Detroit Free Pass. Se o cronograma for seguido à risca, a fabricante britânica deverá apresentar sua nova plataforma eletrificada ainda em 2020, no Salão de Genebra (Suíça).

LEIA MAIS: Volkswagen terá 12 SUVs e 8 modelos elétricos em 2020

De acordo com o executivo, a McLaren está trabalhando em um motor V6 híbrido, além de uma nova plataforma. A arquitetura remodelada deverá equipar todos os modelos da McLaren no período de “transição”, uma vez que a tendência é que todos os seus modelos sejam eletrificados no futuro. 

Além de proporcionar uma engenharia mais eficiente para a integração de um motor híbrido, a nova plataforma poderá agregar sistemas de segurança mais complexos e eficientes - incluindo frenagem de emergência em situações extremas. 

LEIA MAIS: Veja 10 carros elétricos que devem chegar ao Brasil em 2020

Flewitt promete que o primeiro modelo montado sobre a nova arquitetura deverá aparecer antes do fim de 2020. No modo 100% elétrico, o superesportivo deverá ter algo em torno de 50 km de autonomia, podendo atingir 100 km/h em míseros 2,3 segundos. Seria o carro mais rápido da McLaren homologado para as ruas. 

Rival para o Porsche Taycan

Flewitt antecipa que um veículo 100% elétrico para concorrer com o novo Porsche Taycan deverá levar certo tempo para aparecer. “As baterias ainda são muito pesadas para serem utilizadas em supercarros feitos de materiais leves, como fibra de carbono”, diz o executivo..