VW Gol cinza arrow-options
Divulgação
Volkswagen Gol: há 20 anos, era o carro mais vendido no Brasil. Hatch estava no auge e tinha acabado de receber uma série de novidades

Nada de SUVs, carros elétricos ou autônomos. O cenário do setor automotivo há 20 anos no Brasil era bem diferente de hoje. O carro mais vendido no País era o Volkswagen Gol, que vinha ocupando o primeiro lugar no ranking desde 1987. Com apenas 10 anos de abertura das importações, no ano 2000 ainda havia poucas fabricantes instaladas no mercado brasileiro.

LEIA MAIS: Veja 10 fabricantes que desistiram do Brasil

Além do herdeiro do Fusca, outro carro que ficou marcado no Brasil há 20 anos foi o Chevrolet Celta, o subcompacto que inaugurou as atividades da fábrica da GM em Gravataí (RS). O carro veio para ser uma opção mais em conta e aumentar bastante o volume de vendas da marca no País e pode ser considerado um dos hits do setor automotivo , há 20 anos.

Das quatro principais marcas que dominavam o mercado de automóveis e comerciais leves em 2000, a Fiat ainda vendia bastante hatches compactos como o Palio e o Uno. O primeiro estava completando 4 anos no mercado, prestes a receber mudanças no desenho. E o outro ainda fazia sucesso nas versões com motor 1.0 Fiasa, derivado do que era usado no primeiro Fiat nacional, o pequeno 147.

Fiat Uno azul arrow-options
Divulgação
Chevrolet Celta acabava de ser lançado em 2000, quando inaugurou as atividades na fábrica da GM em Gravataí (RS)

 No caso da Ford, o Fiesta era o modelo mais vendido. Em 2000, tinha acabado de receber motores Rocam no lugar do Endura, de concepção mais antiga, já que, entre outros itens, vinha com comando de válvulas lateral.  Interessante também é que a marca ainda vendida o Escort, inclusive na versão perua.

 Entre as consideradas “newcomers”, a Renault tinha completado apenas dois anos da inauguração de sua fábrica no Paraná, em 2000, quando fabricava a minivan Scénic . Aliás, no lugar dos SUVs, os carros de família mais desejados eram os monovolumes, como Chevrolet Zafira, que tinha acabado de ser lançada no Brasil.

Renault Scénic azul arrow-options
Divulgação
Renault Scénic fabricada no Brasil era um dos carros preferidos das famílias. As minivans eram modelos cobiçados, antes da era dos SUVs

 Outras duas marcas francesas, a Peugeot e a Citroën vendiam apenas modelos importados no Brasil em 2000, entre os quais o arrojado hatch compacto 206 e o médio Xsara. Na lista dos modelos mais sofisticados também havia o sedã 406 V6 e o Xantia, com suspensão hidropneumática.

LEIA MAIS: Relembre 5 carros que saíram de linha no Brasil, mas existem em outros países

As fabricantes japonesas também haviam chegado ao Brasil há pouco tempo em 2000. A Toyota há fabricava o sedã Corolla desde 1998, mas o carro era bem mais simples que o atual. Tinha câmbio automático de quatro marchas e era menor que um VW Virtus. E a Honda também fazia o Civic no Brasil, modelo que era um pouco mais sofisticado que o rival.

 Entre os importados, existiam marcas como Mazda, Chrysler, Alfa Romeo e Seat, todas fora do País atualmente. Elas vendidam carros como o Alfa 147, um hatch compacto de linhas arrojadas e que chegou a ser vendido com câmbio automatizado, uma novidade em 2000.

Mercedes Classe A azul arrow-options
Divulgação
Mercedes Classe A chegou a ser feito em Juiz de Fora (MG) e foi o primeiro carro nacional com controle eletrônico de estabilidade (ESP)

 Além disso, em 2000, a Mercedes-Benz montava o Classe A em Juiz de Fora (MG), o primeiro carro fabricado no País a ser equipado com controle eletrônico de estabilidade (ESP), item que passou a ser obrigatório no País apenas a partir de agora, em 2020, e para projetos novos. Em todos os carros produzidos, a obrigatóriedade valerá apenas em 2022.

 As apostas de marcas mais sofisticadas também eram bem recentes no Brasil, há 20 anos. A Audi fabricava o hatch médio A3 há apenas um ano, na recém-inaugurada fábrica em São José dos Pinhais (PR). Ainda com o irmão de Ayrton Senna entre os que comandavam a marca das quatro argolas no Brasil, a Audi fazia os lançamentos mais badalados.

 LEIA MAIS: Ford Ranger Splash: um símbolo de exclusividade 

E entre os utilitários, um dos destaques fica por conta da picape Dodge Dakota, que era fabricada em Campo Largo (PR) e tinha a cobiçada versão esportiva R/T, com motor V6 e câmbio automático com alavanca na coluna de direção, algo que apenas modelos importados tinham na época, como a Ford Ranger Splash, trazida dos EUA por lojas independentes, entre os hits do setor automotivo em 2000.

    Veja Também

      Mostrar mais