Fiat Strada arrow-options
Divulgação
Fiat Strada denova geração tem mais uma revelação que reforça as intenções da FCA de promover o segmento

Pouco menos de um mês após a revelação oficial da dianteira da Fiat Strada de nova geração, a marca italiana acabou com mais um segredo: a sua traseira. Para diferenciar a Strada da Toro, há algumas diferenças marcantes além do seu porte. A tampa traseira da Strada é maior e vai até o pára-choque, com abertura vertical. Ao contrário da Toro, que tem abertura dupla lateral.

LEIA MAIS: Fiat Toro 2020 fica mais caro em até R$ 3 mil em todas as versões

Fiat Toro arrow-options
Divulgação
Fiat Strada 2021 tem linhas que lembram a Toro e quatro portas, algo inédito entre as picapes leves no Brasil

A traseira da picape menor também é mais achatada, sem área arredondada como na Fiat Toro . Há também logotipo da Fiat na tampa traseira, deixando a maçaneta de abertura para cima. Como na rival Volkswagen Saveiro , agora a Fiat Strada tem para-choques de plástico. As lanternas traseiras, por sua vez, são totalmente inspiradas na Toro, por outro lado, a Strada vem com luz de ré na parte inferior e iluminação de LED apenas nas versões mais caras. Na versão Volcano das fotos, vem com rack de teto integrado ao santantônio e às barras de proteção do vidro traseiro.

LEIA MAIS: Veja os 5 principais lançamentos do primeiro semestre

Além disso, a picape revela elementos estruturais de Mobi, Fiorino e Uno, ao contrário de antes, que partia do Palio. Do subcompacto Mobi vêm as portas, enquanto para-brisa e parte da plataforma são compartilhados também com Fiorino e Uno. A plataforma mantém a suspensão com feixe de molas da Strada convencional na traseira. Dessa vez remetendo ao Argo, a dianteira da nova Strada carrega faróis espichados com um filete de LEDs na parte superior, que podem ser de iluminação diurna ou apenas luz de posição.

Mecânica

Fiat Toro arrow-options
Divulgação
Silhueta da nova picape, onde se observa mais referências com a Toro

As variantes de entrada da Fiat Strada 2021 manterão o motor 1.4 Fire flex de 88 cv e 12,5 kgfm. Com ele, seguirá com direção hidráulica. O objetivo por trás disso é manter os custos baixos para atrair frotistas. Já as opções mais caras virão com o 1.3 Firefley do Argo e do Cronos associado à direção elétrica. Com 109 cv e 14,2 kgfm, gera menos que os 132 cv e 18,9 kgfm do 1.8 atual, por outro lado trata-se de um conjunto bem maks eficiente.

LEIA MAIS: Peugeot revela a Landtrek, picape média que chega ao Brasil em 2021

Câmbio manual de cinco marchas será padrão na Fiat Strada , porém uma variante com câmbio automático CVT deverá ser oferecida em 2021, quando os motores Firefly turbo começarem a ser ofertados no mercado. A novidade não tem, até o momento, previsão de ganhar os motores turbo.

    Veja Também

      Mostrar mais