VW T-Cross
Divulgação
Linha de montagem do SUV T-Cross no Paraná voltará gradualmente às atividades a partir do próximo dia 18

A Volkswagen vai retomar as atividades na fábrica em São José dos Pinhais (PR) a partir do próximo dia 18. Em comunicado à imprensa, a fabricante diz que as demais unidades de produção da marca têm previsão de retornar no fim deste mês de maio. Além disso, uma série de medidas serão tomadas para garantir a segurança e a saúde dos seus empregados.

LEIA MAIS: Depois da pandemia, qual será o "novo normal" no setor automotivo?

Seguindo o que já foi adotado em fábricas da VW na Alemanha e China, as que estão no Brasil também seguirão protocolos internacionais e as determinações do governo. O retorno será gradual no Paraná, onde voltará a ser produzido o SUV T-Cross . Serão dois turnos em ritmo mais lento, com os empregados respeitando o distanciamento social recomendado, e com a curva de aceleração visando atender a demanda do mercado.

Para este regresso, a empresa estabeleceu regras e medidas claras para todos com a finalidade de tomar precauções contra o novo coronavírus . "Vamos começar de uma forma muito planejada, com distanciamento recomendado entre as pessoas e seguindo todas as boas práticas de limpeza e higiene. Estamos levando as orientações aos nossos empregados de forma didática e por meio de vídeos, porque será uma experiência inédita para todos e o entendimento de todas as regras será fundamental para nos acostumarmos rapidamente a esta nova realidade", afirma Pablo Di Si , CEO e presidente da Volkswagen para a América Latina.

LEIA MAIS: Renault e BMW retomam as atividades em suas fábricas no Brasil

Ainda conforme o executivo da VW "o retorno é um sinal importante para nós, para nossa rede de concessionárias, fornecedores e a economia em geral. No contexto pandemia, porém, este é apenas o primeiro passo. É necessário um momento adiante para estimular a demanda do mercado interno e países nos quais exportamos nossos veículos e, assim, adequar os volumes de produção diante da demanda", finaliza Di Si.

    Veja Também

      Mostrar mais