Dodge Journey
Divulgação
Dodge Journey: crossover teve relativo sucesso no Brasil onde a marca deixará de ter modelos à venda,pelo menos por enquanto

Agora é oficial. O crossover Dodge Journey sairá de linha no fim do ano , quando será encerrada da produção no México, de onde o carro é exportado para vários países, inclusive o Brasil, desde julho de 2008. Mais bem sucedido no mercado brasileiro que o clone Fiat Freemont, o modelo da marca norte-americana deixará uma legião de admiradores que precisam de sete lugares, por um preço razoável.

LEIA MAIS: Projeção antecipa o futuro SUV da Fiat, que chegará ao Brasil em 2021

Hoje em dia, o carro é oferecido a partir de R$ 149.900 no site da fabricante. Mas, pelo o que apurou a reportagem de iG Carros, nas principais lojas de São Paulo não há mais unidades à venda. Além disso, existem algumas que não recebem o carro desde o final de 2018. De qualquer forma, o Dodge Journey era uma das boas opções de 7 lugares no Brasil. Além dele, a marca americana também deixará de produzir a Grand Caravan.

No Brasil, o Dodge Journey foi vendido apenas com motores V6. A versão mais cobiçada era a R/T 3.6 de 284 cv e 34,9 kgfm de torque, com tração integral. Chegou-se a oferecer acabamento opcional Blacktop , com faróis de lentes escurecidas, rodas de aro 19 polegadas com acabamento brilhante, assim como as carcaças dos retrovisores e a grade dianteira. Mas, mesmo assim, a chegada de vários novos SUVs, somada à alta do dólar junto com a forte crise econômica acabaram com o os dias de glória do modelo no Brasil.

O que virá no lugar do Dodge Journey?

SUV da Fiat
Projeção/Kleber Silva
Novo SUV da Fiat terá sete lugares e porte de SUV médio com novos motores turbinado fabricados em Betim (MG)

Sem a Journey, a Dodge deixará de ter modelos à venda no mercado brasileiro, onde continua com força a Jeep. Nesse segmento de 7 lugares chegará, no final de 2021, o Fiat Fastback , baseado no protótipo apresentado no Salão do Automóvel, no São Paulo Expo, em novembro de 2018. Será o modelo que deverá trazer mais lucratividade para a marca Fiat no Mercosul, com a mesma plataforma da picape Toro e com novos motores FireFly turbinados, feitos em Betim (MG).

O mais potente deles será o 1.3 turbo, que está sendo preparado para ser flex e deverá render até 180 cv e mais de 27 kgfm de torque, eficiência mais do que suficiente para substituir o já antiquado E.torQ 1.8, que poderá ser usado em alguns modelos da FCA até quando for possível.

LEIA MAIS: Imagens mostram como deve ficar a versão renovada da Fiat Toro

Entre outros detalhes o Fiat Fastback, tido como substituto do Dodge Journey no Brasil, terá ares de cupê, assim como o VW Nivus, mas com porte maior, de SUV médio. E terá o mesmo estilo adotado na nova picape Strada, com logo em destaque na grade dianteira, como mostra a projeção do designer Kleber Silva , mostrada acima.

    Veja Também

      Mostrar mais