Frenagem autônoma de emergência
Divulgação
Frenagem autônoma de emergência ainda é um sistema de segurança pouco difundido entre os carros vendidos no Brasil


Apesar de ter se tornado mais popular nos últimos anos, os sistemas de frenagem autônoma de emergência (AEB na sigla em inglês) estão presentes como item de série em apenas 4,8% dos veículos vendidos no Brasil neste ano, aponta um estudo feito pela fabricante de autopeças Bosch.


Dentre os automóveis de produção nacional de marcas "não premium", apenas Hyundai HB20, Toyota Corolla, Volkswagen Nivus e os Chevrolet S10 e Trailblazer estão entre os modelos que trazem pelo menos alguma versão com o AEB de série.

Operando em velocidades que geralmente vão de 10 a 80 km/h, o AEB detecta quando há risco de colisão frontal, acionando os freios do carro automaticamente caso o condutor não reaja a tempo.

Os sistemas existentes atualmente variam em termos de tecnologia (operação por laser, câmera frontal ou radar, ou uma combinação destes) e também em funções, com alguns equipamentos sendo capazes de identificar também o risco de colisão contra pedestres, animais e ciclistas.

No Japão, Estados Unidos e na União Europeia, todos os carros de passeio e comerciais leves produzidos a partir de 2022 serão equipados de serie com sistemas do tipo. Atualmente, não existe um plano para tornar obrigatória a implantação dos sistemas de frenagem autônoma nos carros vendidos no Brasil.

Por outro lado, o Latin NCap — organização que avalia a segurança dos veículos comercializados na América Latina —, inclui o equipamento na lista de itens tecnológicos que garantem o Advanced Award, prêmio dado aos automóveis equipados com tecnologias para evitar acidentes.

Segundo pesquisas feitas pela Bosch na Alemanha, 72% das colisões traseiras poderiam ter sido evitadas se todos os veículos fossem equipados com a tecnologia de freios AEB .

    Veja Também

      Mostrar mais