A indústria brasileira é muito dependente do valor do Real diante das principais moedas internacionais. Basta o dólar e o euro dispararem para que os preços de produtos importados fiquem mais altos. Da mesma forma, muitos produtos nacionais contam com componentes importados, fazendo o preço subir da mesma forma.

Em 2018, o dólar chegou a R$ 3,20 em meados de março. Hoje, a moeda americana está sendo negociada a R$ 5,62. A alta fez o preço de vários carros subirem. A reportagem do iG Carros lista alguns dos exemplos mais absurdos.

1 - Chevrolet Camaro - de R$ 310 mil para R$ 377 mil

Chevrolet Camaro 2021
Divulgação
Chevrolet Camaro 2021 já pode ser encomendado nas concessionárias da GM

No final de 2017, um cliente poderia adquirir o Chevrolet Camaro SS por R$ 310 mil. Na última semana, o modelo renovado chegou ao Brasil pela bagatela de R$ 377 mil na mesma versão. Ou seja, houve acréscimo de R$ 67 mil no valor do muscle car americano.

O Camaro evoluiu bastante neste período. O câmbio de oito velocidades foi substituído por uma unidade mais moderna, com dez. Além disso, o Camaro ficou mais conectado, com sistema MyLink com internet embarcada. De qualquer forma, o aumento do preço chama atenção.

2 - Audi A3 Sedan - de R$ 95 mil para R$ 132 mil

Audi A3 Sedan
Divulgação
Audi A3 Sedan é o único modelo da marca com produção nacional

Em meados de 2014, a Audi fez uma estratégia ousada para impulsionar as vendas do A3 no Brasil. O modelo foi lançado em uma versão mais básica, Attraction 1.4, por R$ 94.800. Quem quiser comprar um Audi A3 Sedan na versão mais barata, Prestige, em 2020 terá que desembolsar R$ 132.990; diferença de R$ 38 mil.

O A3 Sedan 2020 também está mais equipado, com teto-solar panorâmico, display digital e bancos revestidos em couro. Vale lembrar que a nova geração está confirmada para o Brasil e deverá chegar às lojas em meados do ano que vem.

3 - BMW Série 1 - de R$ 109 mil para R$ 197 mil

BMW Serie 1
Divulgação
BMW Serie 1 perdeu importância entre os hatches médios e virou carro de nicho

A BMW também subiu o preço de seus produtos no Brasil nos últimos anos. O hatch 120i Sport ActiveFlex, modelo de entrada do Série 1 em 2015, partia de R$ 109.950. Em sua nova geração, o 118i Sport GP 2020 parte de R$ 197.950 na versão mais barata. São R$ 88 mil de diferença.

Vale lembrar que a geração anterior era produzida em Araquari (SC), enquanto o novo modelo é importado de Leipzig (Alemanha). De qualquer forma, o Série 1 perdeu importância nos últimos anos e a BMW optou por mantê-lo como carro de nicho.

4 - Toyota Corolla - de R$ 69 mil por R$ 110 mil

Toyota Corolla
Divulgação
Toyota Corolla está mais tecnológico, equipado e caro na linha 2020

Quando a Toyota lançou a linha 2016 do Corolla em 2016, a versão GLi com câmbio CVT tinha preço sugerido de R$ 69.990. A mesma versão está disponível pela bagatela de R$ 110.190 no modelo 2020. A variação é de R$ 41 mil em apenas quatro anos.

O preço não afetou o fôlego nas vendas, pois o Toyota Corolla continua vendendo muito mais que Civic, Cruze e Jetta. Vale lembrar que o modelo continua sendo feito no Brasil em sua nova geração, que agora conta com uma versão híbrida inédita.

5 - Fiat Uno - de R$ 26 mil por R$ 46 mil

Fiat Uno
Divulgação
O Fiat Uno sofreu com o lançamento de Mobi e Argo; o tradicional hatch nacional está esquecido

Achou que apenas os modelos premium ficaram mais caros nos últimos anos? Achou errado. Em 2015, o Fiat Uno 1.0 Vivace partia de R$ 26.370 com motor 1.0 e visual “pré-facelift”. Quem quiser adquirir um Uno 1.0 em 2020 terá que desembolsar R$ 46.590 no modelo Attractive; ou seja R$ 20 mil de diferença.

O Fiat Uno Attractive é bem mais equipado que o Vivace, mas isso não animou o público da marca. Considerando que o Argo parte de R$ 53 mil, é melhor fazer um esforço e levar o hatch mais caro. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários