Sucesso na Europa, Nissan Leaf é um dos carros elétricos mais vendidos do mundo
Divulgação
Sucesso na Europa, Nissan Leaf é um dos carros elétricos mais vendidos do mundo

Cerca de 12% de todos os carros novos vendidos no mundo serão elétricos em 2025, projeta a análise global da consultoria Bain & Company. O volume deste segmento, segundo o levantamento, será superior a 50% até meados de 2040. 

Segundo a análise da consultoria, a infraestrutura de carregamento mais robusta, a aceitação dos clientes, redução dos custos da bateria e apoio legislativo devem impulsionar as vendas de veículos elétricos . Os especialistas consultados afirmam que a mobilidade elétrica terá seu ponto de inflexão quando forem mais baratos que modelos a gasolina, etanol, diesel e gás natural veicular. 

Tesla Model X se tornou um dos SUVs elétricos mais vendidos dos Estados Unidos
Divulgação
Tesla Model X se tornou um dos SUVs elétricos mais vendidos dos Estados Unidos

A Bain & Company também sugere que até 2028, o mundo deverá ser introduzido definitivamente aos carros autônomos , que irão circular sem auxílio de motoristas. Apesar da nova tecnologia assustar algumas pessoas, a consultoria acredita que o público dará preferência assim que tiver a oportunidade de testá-la.

Algumas regiões do planeta terão entre 4 e 9% de sua frota equipada com nível de automação quatro, onde o motorista terá que executar pouquíssimas intervenções no veículo, que circula sozinho na maior parte do tempo.

Nissan Skyline conta com sistema autônomo de nível 3, que deverá evoluir até 2028
Divulgação
Nissan Skyline conta com sistema autônomo de nível 3, que deverá evoluir até 2028

De acordo com a pesquisa da Bain, os serviços de carona em carro autônomo podem ser uma solução lucrativa para a mobilidade urbana até 2030. As grandes cidades terão robô-taxis para complementar o sistema de transporte público, ajudando a aliviar o tráfego em áreas congestionadas. A Bain & Company divulga que o preço para instalar sistema autônomo em veículos urbanos deve cair 85% até 2030. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários