Alpine A110 Légende GT 2021: série limitada da marca francesa que entrou para a Fórmula 1
Divulgação
Alpine A110 Légende GT 2021: série limitada da marca francesa que entrou para a Fórmula 1

Fundada em 1955 por Jean Rédélé, a Alpine foi comprada pela Renault em 1973 e sempre se destacou com seus carros esportivos com estilo francês, incluindo as provas de automobilismo como ralis no qual a marca francesa sagrou-se campeã mundial, em 1973. O modelo em questão foi o  Alpine A110 , ou "Berlinette" como era conhecido.

Em 2018, a marca resolveu apostar numa releitura do esportivo apresentando o novo A110 e, dois anos depois, era criada a Unidade de Negócios Alpine do Grupo Renault. 

Comemorando este feito, a Alpine anunciou no dia 14/5 uma edição limitada a apenas 300 unidades modelo A110 Légende GT 2021 , que serão destinadas apenas para o mercado europeu.

 Baseado na versão Légende , o novo cupê GT é dotado de motor turbo, de 1.8 litro, de 292 cv e 32,6 kgfm de torque, disponível de 2.000 a 6.400 rpm. Acoplado a uma transmissão com dupla embreagem, ele acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,4 segundos com velocidade final de 250 km/h.

Assim como todos os Alpine , o A110 Légende GT 2021 possui estrutura leve de alumínio e motor em posição central traseira e uma suspensão com dupla triangulação (dianteira e traseira).

Além dos acabamentos exclusivos desta edição limitada como, por exemplo, bancos tipo competição de couro preto ou marrom, o veículo conta com vários equipamentos de série: sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de ré e sistema de áudio Focal, rodas de 18 polegadas Grand Prix diamantado, entre outros itens.

O A110 Légende GT 2021 , assim como todas as outras versões do A110 , estão disponíveis para pré-reserva por meio do aplicativo Alpine na Europa e cada uma das 300 unidades conta sob o console central, uma placa numerada dá destaque à exclusividade do modelo.

Você viu?

Willys Interlagos foi a versão brasileira do Renault Alpine A 108, dos anos 60
Divulgação
Willys Interlagos foi a versão brasileira do Renault Alpine A 108, dos anos 60

A versão brasileira do primeiro Renault Alpine

Desenvolvido a partir do francês Renault Alpine A 108 , o Willys Interlagos surgiu por aqui em 1962 entrando para história como um dos esportivos nacionais mais lembrados. Seu fabricante, a Willys Overland do Brasil instalada por aqui em 1952, produzia os Interlagos nas versões cupê, conversível e berlineta .

Seu chassi era tubular e a carroceria , feita de plástico (poliéster) reforçado com fibra-de-vidro, ideal para produção em pequena escala, por dispensar a utilização de caras prensas para chapas de aço .

O nome Interlagos foi uma homenagem do autódromo paulistano por sugestão do jornalista e publicitário Mauro Salles e o logotipo, duas bandeiras quadriculadas cruzadas, foi copiado do emblema das 500 Milhas de Indianápolis.

Entre os motores, a Willys disponibilizava cinco opções que ia desde o 845 cc - daí o nome Tipo 845 – até o fabuloso 1093 (o mesmo do Renault 1093) que atingia os 141 km/h de velocidade final cumprindo a tarefa de aceleração de 0 a 100 km/h em 19,4 segundos, valores insignificantes levando em consideração o seu peso de apenas 660 Kg.

O Willys Interlagos teve 822 unidades produzidas de 1962 a 1966 tornando-se um dos clássicos mais desejados não só por colecionadores, mas também por aqueles que sempre sonharam um dia ter um exemplar destes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários