Fim da produção do supercarro da Bugatti vai marcar o fim de uma era na indústria automotiva global
Divulgação
Fim da produção do supercarro da Bugatti vai marcar o fim de uma era na indústria automotiva global

Um dos esportivos mais exóticos do planeta, o Bugatti Chiron  está prestes a deixar de ser fabricado, o que será um marco na história da marca e da indústria automotiva como um todo. Ainda restam 40 exemplares para serem entregues aos felizes e excêntricos proprietários.

Ao todo, foram produzidas apenas 500 unidades do bólido.Para conseguir adquirir uma das 40 unidades disponíveis, os interessados terão de ir direto à sede da Bugatti na cidade francesa de Molsheim, na Alsácia e pedir uma das versões Pur Sport ou Super Sport.

O Chiron , assim como outros carros da Bugatti são confeccionados artesanalmente em um atelier próprio e estreou em 2016, durante o Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça e surpreendeu com seu poderoso motor com quatro turbos de 8,0 litros W16 de 1.521 cv de potência e torque de 163 kgfm capaz levar o carro a 420 km/h.

Uma das características do superesportivo é estrutura toda de fibra de carbono e pneus desenvolvidos pela Michelin especialmente para uso no modelo. 

Leia Também

Na época de seu lançamento, uma unidade do Bugatti Chiron era comercializado pela bagatela de 2,4 milhões de euros (o equivalente a R$ 10,3 milhões) no mercado europeu.

 O Bugatti Chiron atingiu a velocidade máxima de 490,848 km/h e bateu o recorde de carro de passeio mais veloz do mundo. Sob o comando do britânico Andy Wallace, atual piloto de testes da marca, a façanha foi realizada em Ehra-Lessien, a pista de testes da Volkswagen na Alemanha.

O La Voiture Noire  (“o carro preto” em francês) foi criado com base no Chiron para homenagear o modelo Type 57 SC Atlantic, de 1936, projetado pessoalmente por Jean Bugatti. O modelo novo traz vários adereços que remetem ao clássico, como o entre-eixos estendido, a carroceria musculosa e o interior feito de couro marrom.

Apesar de ser um veículo exclusivo, o La Voiture Noire teve que passar por testes rigorosos de carros de produção, fato este que justifica seu valor na faixa de R$ 60 milhões. O modelo foi submetido a testes em pistas, túneis de vento e simulações de colisão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários