Ferrari SF90 Spider:  supercarro é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos e de atingir 340 km/h
Divulgação
Ferrari SF90 Spider: supercarro é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos e de atingir 340 km/h

A Via Itália, importadora oficial da Ferrari , traz ao Brasil a SF90 Spider por R$ 8,4 milhões . O supercarro é considerado o primeiro na versão spider híbrida plug-in de produção da marca e para isso traz como destaque o teto rígido retrátil. 


O motor V8 turbo , de 780 cv está associado a mais três motores elétricos acoplados um no eixo traseiro e dois no eixo dianteiro, elevando sua potência máxima para impressionantes 1.000 cv . Completa o conjunto a caixa de câmbio de dupla embreagem de 8 velocidades, que já equipa a SF90 Stradale.

Como qualquer Ferrari que se preze, o ronco metálico é uma das características mais tradicionais e, por isso, foi dada atenção à qualidade do som, ao redesenhar o sistema de escape. Foi introduzido um "sistema de tubo quente", que transfere o som mais diretamente para o cockpit.

Por fora, as linhas da SF90 Spider permanecessem o mais fiel possível ao estilo da SF90 Stradale e um dos elementos-chave é a exposição do V8 através da tampa do motor fechada, graças a cobertura de vidro no qual é visível mesmo com o teto rígido retrátil aberto ou fechado.


Para adequar o melhor modo de condução ao gosto do 'piloto', a Ferrari equipou a SF90 Spider com quatro modos de condução (eDrive, Hybrid, Performance e Qualify) que podem ser operadas pelo novo eManettino.

Tal como a SF90 Stradale , a SF90 Spider também tem tração integral (AWD), fazendo com que as partidas do modelo a partir da inércia alcancem velocidades inigualáveis: 0 a 100 km/h em 2,5s e 0 a 200 km/h em 7,0s, com máxima de 340 km/h.

Leia Também

Além disso, está presente o sistema de controle dinâmico do carro eSSC (electronic Side Slip Control) , com três sistemas de regulação dinâmica e distribuição de torque do motor para as quatro rodas como Controle Eletrônico de Tração (eTC), Vetorização de torque e Controle de freio por fio com ABS/EBD.

Outro destaque é a estrutura que foi revisto para lidar com as tensões extras associadas à nova unidade de potência e à introdução da tração integral . O chassi possui rigidez torcional 30% maior do que as plataformas anteriores sem qualquer aumento de peso.

Por dentro, vale ressaltar o painel de instrumentos central que agora é totalmente digital com uma tela curva HD de 16”, que pode ser configurada e acessada usando os botões no volante . No túnel central, os controles da caixa de câmbio automática agora são acionados por um recurso de estilo de grade que faz referência ao câmbio manual da Ferrari.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários