Comparando os anos de 2021 com 2020, o segmento online teve alta de 39% e 32% a mais em relação a 2019.
Divulgação
Comparando os anos de 2021 com 2020, o segmento online teve alta de 39% e 32% a mais em relação a 2019.

A pandemia trouxe inúmeros e incontáveis prejuízos para alguns empresários. Em contrapartida, para alguns setores como o do mercado online, só cresceu, devido ao isolamento social imposta pelo governo.


Segundo dados da Pesquisa Conjuntural do Comércio Eletrônico (PCCE), elaborada pela FecomercioSP em parceria com a Ebit/Nielsen , comparando os anos de 2021 com 2020, o segmento online teve alta de 39% e 32% a mais em relação a 2019.

Junto com a alta do setor online também veio o de carona o de logística como as empresas de delivery. De acordo com Allan Nicola, CMO e cofundador da startup Alfred Delivery, o setor de tinha uma previsão de alta de 78% até o ano 2030, mas que foi conseguido em apenas 12 meses.

“O crescimento do setor vem sendo impulsionado pela comportamento dos clientes, que aprenderam a usar o canal online. As lojas físicas mais tradicionais adotaram o e-commerce não só como uma solução, mas também como uma possibilidade de ampliar as vendas", afirma Nicola.

Assim, a Alfred Delivery , tem aumentado os serviços de logísticas também para o interior como Barreiras (BA), com 156 mil habitantes, e São José do Rio Pardo (SP), com cerca de 55 mil habitantes, ambas com dificuldade de encontrar o serviço online. Hoje a empresa conta com 180 locais atentendidos.

“Nas cidades do interior, o Alfred Delivery se tornou o apoio diário para lojistas físicos e online de diferentes segmentos. Em 2021, o negócio gerou um faturamento de R$ 12,2 milhões e a nossa expectativa é crescer de cinco a dez vezes até 2023”, finaliza o executivo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários